TSE pede ao Telegram para rastrear responsáveis pela publicação de fake news

O vice-presidente do aplicativo se reuniu com Edson Fachin no início da semana

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Em reunião com o vice-presidente do Telegram, Ilya Perekopsky, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pediu que o aplicativo adote algumas medidas para ajudar no combate a disseminação de notícias falsas, as famosas ‘fake news’. O TSE solicitou ainda que a plataforma rastreie os responsáveis pelas publicações enganosas.

De acordo com o Jornal O GLOBO, a reunião aconteceu na noite de segunda-feira (6) e, além de Perekopsky, o representante legal do Telegram no Brasil, o advogado Alan Campos também esteve presente no encontro com o ministro Edson Fachin, presidente da Corte. O secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Julio Valente, e outros representantes do Tribunal também marcaram presença.

Segundo texto publicado na página da Corte na internet, Perekopsky respondeu que algumas sugestões podem ser analisadas para serem implantadas no futuro, enquanto outras não poderiam ser atendidas, mas o TSE não especificou quais.

Ainda no encontro de segunda-feira, o vice-presidente do Telegram disse que o aplicativo está adotando no Brasil, pela primeira vez no mundo, algumas iniciativas no combate à desinformação. Perekopsky disse ainda que, durante a campanha, vai responder as solicitações do TSE da forma mais ágil possível.