Produção mineral baiana comercializada cresce em abril

faturamento de R$ 780 milhões em todo o estado teve como destaques as cidades de Itagibá e Jacobina, com 30% e 22% de participação, respectivamente.

Foto: Ascom SDE

A Produção Mineral Baiana Comercializada (PMBC) atingiu R$ 780 milhões em abril, valor R$ 253 milhões a mais do que o apurado no mesmo periodo de 2021. Destaque para os municípios de Itagibá e Jacobina, com 30% e 22% de participação do montante total, respectivamente.

Os dados são do Sumário Mineral divulgado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE). O setor emprega atualmente 14 mil pessoas na Bahia, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED).

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, José Nunes, os principais bens minerais exportados de janeiro a abril de 2022 somam US$ 494,4 milhões. Cobre lidera, escoando para outros países o equivalente a US$ 156,8 milhões.

“A mineração baiana tem um forte potencial, gera emprego, movimenta a economia dos municípios”, afirmou. A Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) recolheu no estado R$ 2,1 milhões, já os municípios tiveram uma receita de R$ 8,6 milhões.