Rússia ocupa a segunda maior cidade da Ucrânia em meio a combate intenso

Kharkiv, localidade de 1,4 milhão de habitantes, é palco de enfrentamentos nas ruas após a entrada de soldados e veículos militares russos

Tropas russas ocuparam Kharkiv, a segunda maio cidade da Ucrânia, com 1,4 milhão de habitantes, a cerca de 450 km da capital Kiev. Há relatos de violentos combates nas ruas da cidade.

Segundo Oleh Synehubov, governador regional, veículos e soldados russos entraram na cidade neste domingo, 27. “Os veículos do inimigo russo avançaram para a cidade de Kharkiv. Incluindo a parte central da cidade.

Aviso! Não deixem seus abrigos!”, escreveu em um post no Facebook. Ele disse também que as Forças Armadas da Ucrânia estão resistindo à invasão.

De acordo com ele, os combates estão ocorrendo no centro da cidade. Kharkiv fica a menos de 32 quilômetros ao sul da fronteira russa e foi abordada por forças russas logo após o início da ocupação na quinta-feira, mas enfrentou resistência ucraniana por três dias.

O Ministério da Defesa russo anunciou também que outras duas cidades ao sul, Kherson e Berdyansk, estariam “completamente bloqueadas”, e uma terceira, Henichesk, estaria controlada. Também anunciaram a tomada do aeródromo de Chernobayevka, que fica na mesma região.

Os avanços estão sendo anunciados no momento em que parte da comunidade militar internacional vem afirmando que a Rússia enfrenta dificuldades maiores do que imaginava para avançar em território ucraniano.

De acordo com uma avaliação divulgada pelo Ministério da Defesa da GrãBretanha no sábado, as tropas ucranianas permanecem altamente motivadas e capazes de ocupar posições-chave na resistência à invasão russa. Segundo a CNN Internacional, a Rússia também está enfrentando dificuldades inesperadas no abastecimento de suas forças e está sofrendo perdas mais pesadas de pessoal, blindados e aeronaves do que o esperado.

Kiev

No sábado, terceiro dia desde que avançou no território ucraniano, as forças russas intensificaram os ataques a Kiev. A capital continua resistindo e, segundo o presidente do país, Volodymr Zelensky, ainda está sob controle do governo ucraniano. Na madrugada duas explosões massivas foram ouvidas nos arredores da capital, segundo a CNN Internacional.

Em Kiev, foi implementado um toque de recolher a partir das 17 horas deste sábado até as 8 horas da próxima segunda-feira, 28. O presidente ucraniano decretou que homens na faixa dos 18 a 60 anos estão impedidos de cruzar as fronteiras e devem ajudar na resistência. Países como a Alemanha, a França, a República Tcheca e a Holanda afirmaram que vão enviar armas e munições para o país.