PIRAÍ DO NORTE

Prévia da inflação em janeiro na Região Metropolitana de Salvador fica em 0,89%

Apesar de ter desacelerado em relação ao registrado em dezembro de 2019 (0,95%), foi o maior índice para um mês de janeiro na região desde 2016

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que funciona como uma prévia da inflação oficial, ficou em 0,89% na Região Metropolitana de Salvador para o mês de janeiro.

Apesar de ter desacelerado em relação ao registrado em dezembro de 2019 (0,95%), foi o maior IPCA-15 para um mês de janeiro na região desde 2016, quando o índice havia sido de 0,97%.

O IPCA-15 da RM Salvador, em janeiro, ficou acima da média do país (0,71%) e foi a terceira maior prévia da inflação dentre as 11 regiões pesquisadas, abaixo apenas das registradas nas RM Belém (1,13%) e São Paulo (0,90%).

Brasília (0,29%) e as RM Rio de Janeiro (0,47%) e Belo Horizonte (0,52%) tiveram as menores variações do IPCA-15 no primeiro mês do ano.

Com o resultado de janeiro, no acumulado em 12 meses o IPCA-15 da Região Metropolitana de Salvador ficou em 3,86%, acelerando em relação ao acumulado no ano de 2019 (3,77%), mas ainda abaixo da média nacional (4,34%).

A RMS tem o terceiro menor IPCA-15 acumulado em 12 meses, dentre as 11 áreas pesquisadas, ficando acima apenas da RM Rio de Janeiro (3,48%) e de Brasília (3,56%).

O quadro a seguir mostra os principais resultados do IPCA-15 de janeiro para o Brasil e cada uma das áreas pesquisadas.

ATT00001 Prévia da inflação em janeiro na Região Metropolitana de Salvador fica em 0,89%

Dos nove grupos de produtos e serviços que formam o IPCA-15, seis tiveram altas em janeiro, na Região Metropolitana de Salvador.

Ainda sob forte influência das carnes (+5,13%), o grupo alimentação e bebidas (+2,39%) foi o que mais aumentou na RMS, segundo o IPCA-15 de janeiro, exercendo também a principal pressão inflacionária na primeira metade do mês. Os aumentos da carne-seca e de sol (+6,57%) e do patinho (+9,85%) ficaram entre os mais importantes.

A alimentação fora do domicílio também registrou alta significativa no IPCA-15 de janeiro (+1,47%), sob forte influência das refeições fora (almoçou ou jantar), que aumentaram 1,71%.

Além dos alimentos, o IPCA-15 de janeiro na RM Salvador também teve contribuição relevante das despesas com transportes (+1,09%), puxadas fortemente pelos combustíveis (+3,24%). A gasolina (+3,03%) foi o item que individualmente mais puxou a prévia da inflação do mês para cima no mês. O etanol (+5,64%) também teve influência importante.

Dentre os três grupos de produtos e serviços com queda média de preços, segundo o IPCA-15 de janeiro, os destaques em termos de contribuição para conter o índice foram para habitação (-0,38%) e artigos de residência (-0,66%). Ambos apresentaram a segunda deflação consecutiva.

Dentre as despesas com moradia, o principal destaque ficou com a energia elétrica (-4,01%), item que mais puxou para baixo a prévia da inflação de janeiro na RMS. Entre os artigos de residência, o microcomputador (-3,56%) teve a principal contribuição de baixa.

ATT00002 Prévia da inflação em janeiro na Região Metropolitana de Salvador fica em 0,89%