Defensoria Pública nomeia 17 aprovados em concurso para defensor

A Defensoria Pública da Bahia (DP-BA) nomeou os 17 aprovados no último concurso para o cargo de defensor público. Este foi o primeiro concurso da instituição a reservar 30% das vagas para população negra. O certame foi composto por 4 etapas: prova objetiva, prova discursiva, prova oral e avaliação de títulos.

No início de 2015 a Defensoria Pública estava concentrada em apenas 22 comarcas, atualmente são 29 os municípios que possuem a atuação da instituição. Para o defensor público geral, Clériston Cavalcante de Macêdo, era necessário romper com o modelo até então adotado pela instituição na definição de atribuições, nas remoções e promoções, que não dava a devida atenção à manutenção ou à ampliação dos serviços e gerava o quadro, de fato paradoxal, de mais defensores públicos e menos regiões atendidas.

O defensor-geral disse estar contente por este momento e pela forma como foi feito o processo. “O concurso teve um edital inovador, com ênfase em direitos humanos, com matérias humanísticas, com políticas afirmativas, com prova oral, voltado para quem ama a Defensoria Pública” afirmou Clériston de Macêdo. Foram nomeados Júlia Almeida Baranski, Luanna Nathallya Lira Ramalho, Luiz Filipe Souza Fonseca, Ana Valéria Correia Brasil, Tamires Ariel Lima Cardoso, Aline Brito Muller, Ana Elisa Spector Ribeiro, Maria Fernanda Alves Borio, Danilo Keiti Goto, Antônio Agnus Boaventura Filho e Elen Sallaberry Pinto.

As vagas para negros serão preenchidas por Ana Luiza Brito Silva, Hélio Magalhães Pessoa, Elisa da Silva Alves, João Lucas Neto Gomes de Azevedo e Claudino Silva Santos. Já a vaga para pessoa com deficiência será preenchida por Fernanda Nunes Morais da Silva.

 

Programa Estado Solidário