Aliados de Moro comemoram resultado de pesquisas eleitorais e veem chance de turbinar candidatura

Levantamento da Genial/Quaest mostra que 66% dos eleitores não votariam no presidente de jeito nenhum, maior índice entre todos os presidenciáveis

Pessoas próximas ao ex-juiz da Lava Jato esperam apoio de outros candidatos nos próximos meses

Correligionários e aliados do ex-ministro da Segurança Pública Sergio Moro (Podemos) ficaram animados com a rejeição ao presidente Jair Bolsonaro (PL) apontada pela pesquisa Genial/Quaest divulgada no início desta semana. O levantamento também mostra o ex-juiz da Operação Lava Jato como o nome mais bem colocado da chamada terceira via, atrás do atual mandatário do país e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que lidera a corrida pelo Palácio do Planalto. Em razão deste cenário, entusiastas da candidatura acreditam que nos próximos meses haverá um movimento de convergência em favor da postulação de Moro.

De acordo com a pesquisa Genial/Quaest, 66% dos eleitores não votariam de jeito nenhum em Bolsonaro. Este é o maior índice entre os presidenciáveis. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), aparece na segunda colocação, com 60% de rejeição. Moro, por sua vez, é rejeitado por 59% do eleitorado. A título de comparação, a rejeição ao ex-presidente Lula é de 43% (veja abaixo). Aliados minimizam o patamar atingido pelo ex-juiz e apontam o antipetismo como o componente que pode turbinar a candidatura de Moro.

“Bolsonaro tem 66% de rejeição e é tido como incompetente. Em linhas gerais, o que as pesquisas internas nos mostram? Coloque Bolsonaro no segundo turno e eleja Lula presidente. Quando entenderem que a rejeição de Bolsonaro é irreversível, tende a haver reversão dos votos. Pergunte a um amigo seu que diz que apoia o governo em quem ele votaria se não fosse em Bolsonaro. Eu aposto que ele vai falar Moro”, disse à Jovem Pan a deputada federal e presidente nacional do Podemos, Renata Abreu.

EU VÍI A EDUCAÇÃO GANHAR UM INVESTIMENTO RECORDE