Secretaria da Educação implanta salas temáticas em nova metodologia de ensino na Educação Integral

A proposta já está em execução em nove unidades da rede, a exemplo do Colégio Estadual Juiz Jorge de Faria Góes, em Feira de Santana.

A Secretaria da Educação do Estado está implantando uma nova metodologia de ensino nas escolas estaduais que ofertam Educação Integral, por meio da qual, o ensino nas salas de aula tradicionais está deixando de existir. Nestas escolas, estão sendo criadas salas temáticas ou salas ambientes, identificadas por áreas do conhecimento, por onde o estudante vai se deslocando durante o dia de acordo com o cronograma de aulas previstas, envolvendo as disciplinas da Base Comum, mas também discussões contemporâneas que contribuem para a sua formação cidadã. A proposta já está em execução em nove unidades da rede, a exemplo do Colégio Estadual Juiz Jorge de Faria Góes, em Feira de Santana (a 118 km de Salvador).

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, fala sobre a iniciativa. “Estas é uma das novas práticas pedagógicas que estamos implantando para fortalecer o eixo pedagógico das escolas, fazendo com que o ambiente escolar seja mais atrativo e dinâmico, potencializando o processo de ensino e aprendizagem, de forma interdisciplinar, e criando maiores oportunidades para o protagonismo estudantil”.

No Colégio Estadual Juiz Jorge de Faria Góes foram instaladas 13 salas temáticas, nas quais os professores, juntos aos estudantes, decoraram com motivações de suas disciplinas, a exemplo de jogos, livros e tabelas periódicas. A estudante Jaqueline Messias, 16, 3º ano, está encantada com a nova metodologia. “Como ainda é algo muito novo, estamos nos adaptamos, mas já percebo que as salas ambientes têm uma vantagem enorme no nosso processo de aprendizado. O nosso contato com a disciplina é mais versátil, dinâmico e integral. Por exemplo, na sala de Matemática, temos um espaço ambientado para esta área do conhecimento, com tabuadas, compassos e outros instrumentos que vão facilitar o nosso processo”, revela a aluna.

A professora articuladora Luciana de Albuquerque fala sobre o sucesso da nova ação. “Os estudantes estão mais tranquilos, mais atentos, mais disciplinados. E as salas estão mais cuidadas porque elas passam a ser de todos e não somente da sua turma”. Neste primeiro momento, completa a educadora, a comunidade escolar se prepara para se envolver no projeto interdisciplinar “Soul + Juiz Jorge”, o qual cada sala de 1º a 3º ano do Ensino Médio irá trabalhar, a partir dos temas: Família, Comunidade e Mundo do Trabalho.

 

 

Veja também