GOVERNO DA BAHIA - TERRA MÃE DO BRASIL

Ronaldo ‘Jacaré’ anuncia aposentadoria do MMA e abre as portas para volta ao jiu-jitsu

Chegou ao fim a carreira de um dos maiores nomes do peso-médio (84 kg) de todos os tempos. Em entrevista ao site ‘Combate.com’, Ronaldo ‘Jacaré’ anunciou sua aposentadoria do MMA – modalidade na qual competiu entre 2003 e 2021 – e deixou as portas abertas para um possível retorno às competições de jiu-jitsu, onde iniciou sua trajetória nas artes marciais.

Desligado oficialmente do UFC em maio deste ano, após perder suas quatro últimas lutas pela organização, ‘Jacaré’ afirmou que chegou a hora de pendurar as luvas e encerrar seu ciclo no MMA, aos 41 anos de idade e após quase duas décadas dedicadas à modalidade. Em contrapartida, o veterano enxerga no seu retorno ao jiu-jitsu uma possibilidade de voltar a se desafiar e, assim, manter acesa a chama do competidor.

Por ora, a volta de ‘Jacaré’ aos tatames ainda não está confirmada, mas o lutador revelou que já voltou aos treinos de jiu-jitsu e fez questão de elogiar a evolução da arte suave nos últimos anos. Vale lembrar que o capixaba conquistou inúmeros títulos na modalidade antes de se dedicar integralmente ao MMA, entre eles o tricampeonato mundial na faixa-preta.

“Eu já lutei muito, me aposentei muito cedo do jiu-jítsu, eu acho que já lutei muito MMA e não tenho pretensão de voltar a lutar. Acabou mesmo. Estou me aposentando do MMA, e estou voltando ao esporte que eu fiz história, o esporte que gosto demais”, anunciou ‘Jacaré’, antes de comentar sobre seu possível retorno ao jiu-jitsu.

“Estou voltando a treinar e, quem sabe, eu volte a competir. Eu sou movido a desafios, e o jiu-jitsu pra mim está virando um desafio, pois está muito evoluído, tem muita coisa nova. Está bonito de se ver”, afirmou.

Aos 41 anos, Ronaldo ‘Jacaré’ se retira do MMA com um cartel de 26 vitórias, 14 delas por finalização, dez derrotas e um ‘no contest’ (sem resultado). O peso-médio foi campeão da categoria pelo extinto evento ‘Strikeforce’ e pelo UFC esteve durante anos entre os principais nomes da divisão, mas – por diferentes motivos – nunca teve a oportunidade de disputar o cinturão da liga.

Programa Estado Solidário