UFC 213

Com promoção “à la MMA”, Roger e Buchecha veem evolução no jiu-jítsu

Lutadores se surpreendem com atenção gerada pelo Gracie Pro e comentam que faixas-pretas não precisam mais saltar para o MMA para sobreviver da luta.

Com promoção "à la MMA", Roger e Buchecha veem evolução no jiu-jítsu

Roger Gracie (esq.) e Marcus Buchecha sorriem antes do Gracie Pro deste fim de semana (Foto: Divulgação)

Houve uma época em que lutas de jiu-jítsu eram notícia de primeira página nos grandes jornais brasileiros, com os feitos da família Gracie destacados nas seções esportivas. Os bons tempos da “arte suave” parecem ter voltado com o “tira-teima” entre Roger Gracie e Marcus Buchecha, luta principal do Gracie Pro, que acontece na Arena Carioca 1 neste fim de semana – o Combate transmite o confronto ao vivo com exclusividade no domingo, a partir de 13h (horário de Brasília). O duelo tem sido destaque em diversos veículos de mídia, incluindo rádio, TV e internet, e está sendo comentada pelo público médio nas ruas.

A atenção extra surpreende até os dois protagonistas do evento, que já estão acostumados a darem entrevistas devido ao seu sucesso no jiu-jítsu – são os dois únicos com 10 títulos mundiais cada na faixa-preta. Os dois passaram por uma bateria de aparições em programas de TV e rádio durante a semana, e Buchecha foi acompanhado de um cameraman que estava registrando sua preparação para um documentário, encomendado por um de seus patrocinadores.

– Essa luta está sendo uma das maiores da história do esporte, é a primeira vez que os dois maiores campeões do esporte vão se enfrentar. Eu e o Roger somos os únicos que temos 10 títulos mundiais na faixa-preta, e como essa é a última luta dele, estão falando bastante e está tendo bastante mídia. Estou sentindo isso, mais do que as outras vezes, até mais do que no Campeonato Mundial. Estou muito feliz em fazer parte disso, e é bom não só para os atletas, como para o esporte também – disse Buchecha ao Combate.com.

O MMA tomou o lugar do jiu-jítsu no imaginário dos fãs de combate nas últimas décadas, e Roger Gracie vivenciou isso: o veterano de 35 anos começou a transição dos tatames para os cages há 11 anos, já passou pelo UFC e atualmente está no One Championship, na Ásia. Ele comparou o marketing do Gracie Pro ao que já experimentou nas artes marciais mistas.

– Lembra muito a promoção do MMA. Nunca vi esse tipo de promoção, principalmente em relação à mídia pra uma luta de jiu-jítsu. Nenhuma luta, nem Mundial, de que participei ou presenciei teve essa presença tão grande da mídia. Fazer parte disso, ver o crescimento e a popularidade do jiu-jítsu, a antecipação dessa luta, estou impressionado e super feliz de fazer parte disso.

 

Veja também