Procissão do Fogaréu é reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial do Estado

[14:13, 31/08/2019] Ana Rosa Acessora Joseildo Ramos: A Procissão do Fogaréu, realizada anualmente na cidade de Serrinha, é reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial do Estado. O decreto foi divulgado no Diário Oficial deste sábado (31), sob número 12.900. Há mais de oito décadas, a manifestação religiosa reforça a tradição e a cultura em todo o território do sisal, levando diversos fies às ruas da cidade em um ato de fé.

O Dossiê para Registro Especial da Procissão do Fogaréu foi produzido pelo Instituto do Patrimônio Artístico Cultural da Bahia (Ipac), por meio da Gerência de Patrimônio Imaterial (Geima), que vem acompanhando o evento desde 2014 e já havia concedido Registro Especial Provisório.

Para Nívea Santos, gerente de Patrimônio Imaterial do Ipac, a Procissão do Fogaréu na cidade de Serrinha é uma importante manifestação religiosa e cultural, que representa a tradição, fé e memória do povo serrinhense. “E como forma de reconhecimento e valorização desta cultura, o Governo do Estado da Bahia, através do IPAC, a partir de hoje (31), salvaguarda de forma definitiva a manifestação através do Registro Especial”.

A procissão
Produzindo um efeito visual com tochas e velas acesas, a procissão, que acontece desde 1930, retrata a prisão de Jesus no Monte das Oliveiras ao ser encontrado pelas tropas romanas. Representando este mesmo ato, fiéis católicos, turistas e demais pessoas seguem pelas ruas da cidade entoando cânticos e rezas. O percurso tem 5Km, partindo da catedral, seguindo até a subida da colina nos arredores da cidade, até chegar à imagem de Senhora Sant’Anna.