Preguiça testa positivo em exame da USADA e perde título do absoluto no Mundial; lutador explica

A suspensão de um ano é retroativa e passa a valer a partir do dia 7 de janeiro, quando Preguiça foi notificado

Preguiça testou positivo no exame antidoping do Mundial de Jiu-Jitsu (Foto: Reprodução/Instagram)

USADA (Agência de Antidoping dos Estados Unidos) anunciou nesta quinta-feira (16) a suspensão por um ano de Felipe Preguiça. O mineiro caiu no exame antidoping do órgão no Mundial de Jiu-Jitsu de 2021, onde tinha conquistado o título do absoluto no torneio da IBJJF. Com a punição, o mineiro perdeu a medalha de ouro. A federação concordou com a decisão da entidade fiscalizadora.

Confira a nota da USADA (AQUI) e a nota da IBJJF (AQUI)

Preguiça foi flagrado com clomifeno e seus metabólitos. A substância é da classe de moduladores hormonais e metabólicos, sendo proibida em todos os momentos pelo Código Mundial Antidoping e pelo Protocolo da USADA.

Em nota enviada à TATAME, Preguiça confirmou que ingeriu clomifeno, mas contou que foi antes mesmo do anúncio do Mundial de Jiu-Jitsu por questões de saúde – que havia indefinições por conta da Covid-19. O faixa-preta também declarou que a quantidade encontrada em seu organismo foi irrisória.

“Em janeiro de 2022 recebi um email da USADA informando que apareceu no meu exame do Mundial uma quantidade irrisória de uma substância chamada Clomifeno. Entrei em contato com meu médico Dr. Felipe Pereira e ele me disse que realmente tinha me prescrito clomifeno por questões de saúde, nada a ver com minha vida de atleta, em julho de 2021 (5 meses antes do Mundial), quando nem tinham anunciado se teria ou não Mundial por causa do Covid”, comentou Preguiça, que seguiu:

“Desde o primeiro momento falei para USADA o que tinha acontecido e depois de toda investigação feita por eles, resolveram diminuir minha pena de quatro anos para a pena mínima de um ano por concordarem que não foi algo intencional, que não alterou em nada minha performance e por ser a substância que foi”, concluiu Felipe Preguiça.

A suspensão de um ano é retroativa e passa a valer a partir do dia 7 de janeiro, quando Preguiça foi notificado pela primeira vez e deu início a suspensão provisória. Essa é a segunda fez que o mineiro testa positivo na USADA. O faixa-preta da Gracie Barra perdeu o título do Mundial de Jiu-Jitsu de 2014.

Vale salientar, que essa suspensão da USADA não afeta a participação de Felipe Pena em lutas casadas, ADCC ou outros torneios que não sejam da IBJJF.

Com Preguiça perdendo o título do absoluto, o Mundial de Jiu-Jitsu da IBJJF fica sem campeão no peso-aberto em 2021. Nicholas Meregali, que seria o adversário de Pena na decisão, foi desclassificado após um gesto obsceno.

Confira na íntegra a nota de Felipe Preguiça:

“Sinto-me no dever de vir aqui e ser transparente com quem gosta e acompanha meu trabalho desde sempre! Vocês que me seguem, gostam da minha personalidade, do meu Jiu-Jitsu, estão sempre me apoiando, torcendo e vibrando junto com as conquistas da minha carreira… Em janeiro de 2022 recebi um email da USADA informando que apareceu no meu exame do Mundial uma quantidade irrisória de uma substância chamada Clomifeno.

Assim que recebi, entrei em contato com meu médico Dr.Felipe Pereira e ele me disse que realmente tinha me prescrito clomifeno por questões de saúde, nada a ver com minha vida de atleta, em julho de 2021 (5 meses antes do Mundial) quando nem tinham anunciado se teria ou não Mundial por causa do Covid-19.

Clomifeno é um remédio vendido sem receita em qualquer farmácia, sem qualquer restrição… Desde o primeiro momento falei para USADA o que tinha acontecido e depois de toda investigação feita por eles, resolveram diminuir minha pena de quatro anos para a pena mínima de um ano por concordarem que não foi algo intencional, que não alterou em nada minha performance e por ser a substância que foi.

Acredito que o trabalho da USADA é importante em qualquer esporte, mas mesmo isso tudo sendo comprovado por eles, de acordo com o artigo 9, essa seria a pena mínima por testes feitos em competição e não acho justo. Durante o processo fui até informado que se tivesse feito uma carta pré-competição avisando o que tinha acontecido, eu não teria problema nenhum. Mas por inexperiência e descuido isso acabou acontecendo.

Queria apenas dizer que estou com a consciência tranquila, sigo focado e motivado com os próximos objetivos. Tenho certeza que tem muita coisa boa pra acontecer muito em breve, só agradecer ao apoio de todos vocês que estão aqui acompanhando sempre minha rotina, momentos bons e ruins”.