Postos sobem preço dos combustíveis e margem de revenda dispara

Pesquisa semanal de preços da ANP mostra que a gasolina encareceu 7,7% durante a paralisação dos caminhoneiros.

A margem de revenda dos postos para a gasolina subiu 52% em duas semanas, segundo a ANP (Marcelo Casal/Agência Brasil)

A pesquisa semanal de preços de combustíveis divulgada nesta segunda-feira 4 pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) mostra que os postos subiram os preços da gasolina, etanol e diesel, e obtiveram margens de lucro consideráveis com a sua revenda durante o período de greve de caminhoneiros.

As paralisações, que tomaram conta de todas as estradas do país, iniciaram-se no dia 20 de maio e se estenderam até o dia 31. Por causa do desabastecimento, o número de postos pesquisados pela ANP também diminuiu.

De acordo com os dados divulgados, o preço da gasolina foi o que mais subiu entre os dias 20 de maio e 2 de junho. Na média, o litro do combustível ficou 7,7% mais caro nas bombas. A margem média de revenda dos postos – um dos itens que compõem o preço final do produto e representa o lucro do estabelecimento por litro vendido – para a gasolina subiu 52% em duas semanas. Na semana entre 13 e 19 de maio, os estabelecimentos cobravam 41 centavos de margem própria por litro. Esse valor subiu para 62 centavos entre os dias 27 de maio e 2 de junho.

 

Fonte: Veja
JIU JITSU FERNANDO MEIRA