Perícia da PF conclui que não houve edição em áudio de conversa entre Joesley e Temer

Análise dos peritos identificou 180 interrupções naturais na gravação, causadas pelo próprio equipamento.

A Polícia Federal (PF) concluiu que não houve edição na gravação da conversa entre o empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, e o presidente Michel Temer, em reunião noturna e fora da agenda oficial, no dia 7 de março, no Palácio do Jaburu.

A perícia, realizada pelo Instituto Nacional de Criminalística (INC), foi finalizada nesta sexta-feira e deve ser entregue ao Supremo Tribunal Federal (STF) na segunda-feira (26). Segundo a Folha, a análise dos peritos identificou 180 interrupções naturais no áudio, causadas pelo gravador.

Segundo o relatório da PF, o equipamento utilizado por Joesley possui dispositivo que pausa automaticamente a gravação em momentos em que não identifica som, o que teria causado as interrupções.

O laudo da PF é um revés para a defesa de Temer, que tenta desqualificar o áudio desde o vazamento da delação do executivo da JBS.

A expectativa é de que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresente até terça-feira (27) denúncia contra Temer ao Supremo.

As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

 

 

Programa Estado Solidário