Polícia investiga sequestro de família de tesoureiro de banco

O delegado titular da 89ª Delegacia Legal de Polícia Civil, Marcelo Nunes Ribeiro, abriu inquérito para apurar o sequestro da mulher e da filha de um tesoureiro do Banco do Brasil, localizado na Avenida Albino de Almeida, no bairro Campos Elíseos, principal Centro Comercial da Cidade. O sequestro da família aconteceu na noite de quarta-feira, no bairro Vila Julieta. As vítimas ficaram em poder dos assaltantes por mais de 12 horas, sendo liberadas só após a entrega de dinheiro retirado pelo funcionário do cofre do banco.

De acordo com o delegado, os bandidos encapuzados invadiram a casa do funcionário no início da noite e renderam a mulher e a filha. “Os bandidos ficaram aguardando na residência a chegada do funcionário. Assim que entrou, um dos marginais rendeu o tesoureiro e ordenaram que ele fizesse uma retirada de valores da agência na manhã seguinte, quando fosse iniciado o expediente”, comentou Nunes, informando que parte dos bandidos saiu da residência levando a família do bancário que ficou refém em um cativeiro ainda não identificado. “Os outros marginais ficaram com o funcionário até amanhecer enquanto a família estava em seu poder do restante da quadrilha”, completou.

Na manhã de ontem, o tesoureiro recebeu a orientação de ir até a agência no Calçadão de Campos Elíseos e fazer a retirada de dinheiro do cofre. “Eles ordenaram que o funcionário retirasse o maior valor em dinheiro que pudesse do cofre”, disse o delegado. Após retirar determinada quantia em dinheiro, o funcionário entregou para os marginais que o aguardavam em Campos Elíseos. Após o ato, os bandidos fugiram em direção ignorada.

A mulher e a filha do bancário só foram liberadas no período da manhã na Rodovia Presidente Dutra, na altura de Barra Mansa. “Já demos início nas investigações e também já foi feita a perícia na agência bancária. Para não atrapalhar a nossa apuração estamos mantendo em sigilo as diligências. Estamos tentando identificar os bandidos que sequestraram as vítimas”, informou o delegado, acrescentando que a princípio seus homens teriam participado de toda a ação.

Até o fechamento desta edição, a assessoria de imprensa do banco, não havia informando qual o valor retirado pelo tesoureiro para entregar aos bandidos.

Fonte: R7
Programa Estado Solidário