‘Nunca foi tão necessário ganhar uma eleição para restabelecer a esperança’, diz Lula ao lado de Alckmin

O petista participou do Congresso do PSB, em Brasília, e defendeu a unidade para derrotar Jair Bolsonaro em outubro

Geraldo Alckmin, Carlos Siqueira e Lula. Foto: Ricardo Stuckert

O ex-presidente Lula defendeu nesta quinta-feira 28 sua aliança com o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, afirmou que “nunca foi tão necessário ganharmos uma eleição” e pregou a unidade para derrotar Jair Bolsonaro em outubro. Eleitos, prosseguiu o petista, terão o desafio de realizar em quatro anos “o que seria necessário em 40”.

Lula participou da abertura do Congresso do PSB, em Brasília. Antes dele, Alckmin afirmou que “pelos brasileiros e pelo Brasil é que nós temos o dever de estar unidos, de lutar e de vencer.”

Em seu pronunciamento, o petista se dirigiu ao vice como “companheiro Alckmin” e voltou a explicar a importância da chapa, composta por dois antigos adversários.

“‘Ah, o Lula e o Alckmin já divergiram, então por que estão juntos’? Porque isso se chama política, se chama maturidade, se chama compromisso com o País e com o povo brasileiro”, declarou Lula. “Nunca foi tão necessário a gente ganhar uma eleição, para restabelecer a dignidade e a esperança e fazer as pessoas perceberem que é possível sonhar e transformar o sonho em realidade.”

Lula elencou alguns dos principais desafios a serem enfrentadas na área econômica, como os preços em disparada e o desemprego. Ele tornou a defender uma mudança na política de preços da Petrobras – hoje, a empresa transfere para o consumidor interno os custos do barril de petróleo no mercado internacional e da cotação do dólar.

“Não tem nada de dolarizar o preço do combustível, do gás, do óleo diesel, porque o custo para a Petrobras é em real, o salário do trabalhador é em real, o custo da prospecção em real”, criticou. “Esse negócio de dolarizar é para juntar mais dinheiro e pagar mais dinheiro para os acionistas, sobretudo os de Nova York.”

Segundo o ex-presidente, o povo elegerá a chapa PT/PSB “porque o Brasil está precisando de nós para consertar este País”. No poder, prosseguiu, “vamos provar que vamos reduzir a inflação, aumentar o salário mínimo, estabelecer uma regra de funcionamento do capital e trabalho, para que ninguém possa se sentir escravizado”.

E completou: “Se necessário, o governo vai estabelecer preços mínimos. Se necessário, vai fazer estoque através da Conab para que a gente possa regular o preço. Se necessário, a gente vai comprar do pequeno agricultor para distribuir nas escolas”.