Mulheres baianas vivem 9 anos a mais do que os homens, segundo IBGE

Expectativa de vida no estado é de 73,7 anos

Uma pessoa nascida na Bahia em 2017 tinha a expectativa de viver, em média, até os 73,7 anos (73 anos, 8 meses e 12 dias), 2 meses e 12 dias a mais que aquelas nascidas em 2016, cuja expectativa de vida era 73,5 anos (73 anos e 6 meses).

Para os homens baianos, a expectativa de vida ao nascer passou de 69,0 anos em 2016 para 69,3 (69 anos, 3 meses e 18 dias) em 2017, com um ganho de pouco mais de 3 meses (3 meses e 18 dias).

Já as mulheres baianas nascidas em 2017 tinham a expectativa de viver em média 78,4 anos (78 anos, 4 meses e 24 dias), cerca de 9 anos a mais que os homens e pouco mais de 2 meses a mais (2 meses e 12 dias) que aquelas nascidas em 2016 (78,2 anos ou 78 anos, 2 meses e 12 dias).

A esperança de vida ao nascer na Bahia em 2017 (73,7 anos) era menor que a média nacional (76,0 anos) e por pouco não estava entre as dez mais baixas do país, mantendo-se em 11º lugar nesse ranking, muito pouco acima de Tocantins (que, no indicador arredondado, também tem esperança de vida de 73,7 anos).

Dentre os estados do Nordeste, a esperança de vida ao nascer na Bahia era menor que a do Ceará (74,1 anos), de Pernambuco (74,3 anos) e do Rio Grande do Norte (76,0 anos) – que tinha a maior esperança média de vida ao nascer da região, praticamente idêntica à média nacional (76,0 anos)

Considerando-se apenas os homens (69,3 anos), a Bahia cai ainda mais no ranking, ficando com a 8ª esperança de vida mais baixa dentre os estados. Já levando em conta só as mulheres (78,4 anos), o estado sobe de posição, ficando bem mais próximo da média nacional (79,6 anos) e com 17ª expectativa de vida mais baixa (ou 11ª mais alta

JIU JITSU FERNANDO MEIRA