GOVERNO DA BAHIA - TERRA MÃE DO BRASIL

Ministério da Saúde prevê economia de R$ 150 bilhões com avanço da vacinação

Valor considera o cenário mais positivo em relação à imunização da população brasileira

Entrega de vacinas em São Paulo (Foto: Divulgação / Governo de São Paulo)

Uma previsão do Ministério da Saúde estima que o país pode economizar até R$ 150 bilhões, nos próximos cinco anos, com o avanço da vacinação da Covid-19.  A previsão é da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde.

De acordo com a Comissão, o valor considera o cenário mais positivo em relação à imunização da população brasileira, apenas com as vacinas da Astrazeneca, produzidas pela Fiocruz e da Pfizer, importadas da farmaceutica Biontech.

A economia é estimada em relação a um cenário que considera os gastos do SUS com internações hospitalares e exames laboratoriais e de imagens em pacientes infectados pelo novo coronavírus.

O relartório aponta que a avaliação econômica demonstrou-se favorável à vacinação, com ambas as vacinas. O imunizante da AstraZeneca teve menor custo e maior eficácia em relação à não vacinação e a vacina da Pfize, que resultou em 100% das simulações com valor abaixo de um limiar conservador e foi considerada custo-efetiva.

Para o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o relatório mostra a análise técnica que a pasta faz para o emprego de vacinas com registro definitivo na Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa: “Esses dados mostram que o nosso trabalho é feito com base em critérios técnicos e científicos na aquisição e incorporação de vacinas covid-19”, afirmou Querioga.