PIRAÍ DO NORTE

Mais de 9 mil são presos em oito dias de protestos contra o racismo nos EUA

Manifestações começaram em 25 de maio por causa da morte do ex-segurança negro George Floyd durante uma abordagem policial em Minneapolis.

Manifestantes caminham na terça-feira (2) em ponte de Manhattan após início do toque de recolher na cidade de New York para protestar contra brutalidade policial e o racismo sistêmico — Foto: Scott Heins / Getty Images via AFP

Mais de 9 mil pessoas foram presas em oito dias de protestos contra o racismo em dezenas de cidade dos Estados Unidos, de acordo com a Associated Press. A atual onda de manifestações começou em 25 de maio com a morte do ex-segurança negro George Floyd durante uma abordagem policial em Minneapolis.

A terça-feira (2) foi considerada o dia mais calmo até agora. Apesar do registro de saques em Nova York, houve um nítido recuo na violência em comparação com os últimos dias, quando manifestações pacíficas terminavam em depredações, incêndios e confrontos violentos com as forças de segurança.

Polícia de Nova York impede que manifestantes cruzem a ponte de Manhattan na noite de terça-feira (2). Toque de recolher passou a vigorar às 20h no horário local — Foto: Craig Ruttle/AP

As autoridades ampliaram o toque de recolher e dispersou manifestantes enquanto ainda era dia em Nova York embora um grupo ainda tenha permanecido nas ruas além do prazo estipulado sem que fosse registrado um confronto com a polícia.

Fila de policiais se forma atrás de uma cerca no Lafayette Park, perto da Casa Branca, em Washington, enquanto manifestantes se reúnem para protestar contra a morte de George Floyd, na terça-feira (2) — Foto: Evan Vucci/AP

Em Washington, os manifestantes voltaram a se reunir em uma quadra próxima à Casa Branca, sede do governo americano, onde no dia anterior policiais com a ajuda da cavalaria dispersaram um grupo para abrir caminho para o presidente Donald Trump fazer uma foto perto da igreja St. John. O ato foi tranquilo ao longo do dia, mas à noite manifestantes começaram a lançar fogos de artifício e objetos contra a cerca e os policiais responderam usando spray de pimenta.

Em Los Angeles, manifestantes fizeram um cerco à casa do prefeito e permaneceram no local horas após o início do toque de recolher. Quando os policiais chegaram, os manifestantes foram retirados e levados para um ônibus sem muito tumulto, segundo a imprensa americana.

Também houve protestos em MiamiSt. PaulMinnesotaColumbiaCarolina do Sul Houston.

Abusos e solidariedade

Alguns policiais foram flagrados cometendo abusos durante a onda de protestos contra o racismo que se espalharam para várias cidades americanas. Em Atlanta (Geórgia), seis policiais foram indiciados por uso excessivo da força na prisão de duas pessoas participavam dos protestos. Em Kansas (Missouri), policiais usaram spray de pimenta para abordar manifestante pacífico. 

O chefe do departamento de polícia da cidade de Nova York, Terence Monahan, abraça um ativista durante marcha pelas ruas da cidade na segunda-feira (2) em protesto pela morte de George Floyd — Foto: Craig Ruttle/AP

Fonte: G1

Deixe seu comentário
Tele Coronavírus 155 começa a funcionar para atender a população gratuitamente na Bahia