UFC

Lutador do UFC é preso por vender luta

 (Photo by Mitch Viquez/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)

O lutador sul-coreano Tae Hyun Bang admitiu à corte de seu país ter participado de um esquema fraudulento, onde teria recebido cerca de o equivalente a R$ 300.000 para entregar alguns dos round na luta realizada em 2015 no UFC Coreia do Sul, contra Leo Kuntz.

Após o UFC observar uma movimentação estranha nas casas de aposta pra o tal combate, pressionou o lutador que desistiu de perder os roubos combinados e acabou por vencer a luta. Tal situação o colocou ainda na mira de ameaças. O mesmo portanto tentou minimizar devolvendo o valor da propina.

O judiciario do país determinou a pena de 10 meses de cadeia ao atleta que foi demitido do UFC no ano passado.

“O crime da luta armada prejudica a credibilidade do esporte, e em duelos internacionais, isso afeta a credibilidade dos países. Bang tinha a obrigação de fazer seu papel de forma justa, mas ele ignorou isso e teve a participação importante no esquema. No entanto levamos em consideração que Bang ganhou a luta e devolveu o dinheiro recebido de propina após isso”

 

Veja também