GOVERNO DA BAHIA - TERRA MÃE DO BRASIL

Ex-lutador do UFC, Chad Mendes deixa aposentadoria e fecha com evento de Boxe sem luvas

Chad Mendes assinou com o Bare Knuckle Fighting Championship (Foto reprodução YouTube)

Aos 36 anos, Chad Mendes está de volta às competições. Nesta quarta-feira (4), o Bare Knuckle Fighting Championship – evento de Boxe sem luvas – anunciou a contratação do ex-lutador do UFC. Dessa forma, o americano segue o caminho de diversos atletas de MMA que vêm migrando para o BKFC, casos do brasileiro Thiago Pitbull, Paige VanZant, Hector Lombard, Bec Rawlings, Artem Lobov, entre outros.

Chad, vale lembrar, não luta desde 2018, quando anunciou sua aposentadoria do MMA. Na ocasião, o lutador postou nas redes sociais: “Eu só quero dizer obrigado a todos os meus fãs e a todos que se conectaram para me ver lutar. Com 29 anos de competições e 11 anos no MMA, sinto que é hora do próximo capítulo da minha vida. Tem sido uma jornada incrível, me sinto extremamente abençoado por estar vivendo essa vida e mal posso esperar para ver o que o próximo capítulo tem reservado para mim. Sou verdadeiramente grato por todo o amor e apoio que vocês demonstraram. Obrigado e vamos continuar demolindo”, disse o peso-pena.

Oriundo do Wrestling, “Money”, como é apelidado Chad Mendes, iniciou no MMA em 2008 e, ao longo da sua trajetória, acumulou 18 vitórias e cinco derrotas. Ele chegou a disputar o cinturão peso-pena do UFC em três oportunidades, mas foi derrotado em todas. Sua última apresentação aconteceu em dezembro de 2018, quando acabou nocauteado por Alexander Volkanovski – hoje campeão da categoria – no UFC 232.

Segundo informações do site MMA Junkie, o contrato com o BKFC é o “mais lucrativo de toda a carreira dele”. Já em entrevista ao podcast de Joe Rogan, Chad revelou: “Acabei de assinar um grande contrato. Estou voltando para lutar, mas não será MMA. Estou voltando para lutar Boxe, quero tentar algo novo”, contou o ex-UFC, que projeta estrear no Boxe sem luvas em outubro, mais precisamente no dia 22, no Arizona (EUA)

Fonte: Revista Tatame

Programa Estado Solidário