UFC

Eleição 2018: Wagner e Lídice reafirmam desejo por espaço

Adversários diretos na disputa por uma cadeira no Senado, Wagner e Lídice desejam espaço na chapa de Rui Costa.

Adversários diretos na disputa por uma das duas vagas para candidaturas ao Senado na chapa do governador Rui Costa, o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Jaques Wagner (PT), e a senadora Lídice da Mata (PSB), marcaram território ontem ao lado do governador Rui Costa (PT) na cerimônia de assinatura de convênios com prefeitos defender seus nomes. Wagner ponderou que aceitaria a empreitada de ser candidato a presidente da República (hipótese levantado por parte do alto escalão do PT no caso de Lula não poder ser candidato), mas ressaltou sua ‘costura’ para ser candidato ao Senado.

“Estou trabalhando minha candidatura ao Senado e estou trabalhando a candidatura do presidente Lula. Eu não tenho dúvida de que a cada dia está ficando mais estreito o caminho daqueles que querem interditar a sua candidatura. Manifestações que vem de gente do direito internacional contra essa coisa quase que obsessiva de condená-lo. Você não acha nenhuma conta dele, não acha nenhum sinal de riqueza. Não acha nada. Virou piada o negócio do sítio. Penso que ficou tão claro isso que talvez seja esta a razão de ele estar subindo nas pesquisas. O povo não concorda com a perseguição”, disse o ex-governador em entrevista ao site Bocão News.

Ele aproveitou a oportunidade para instigar o prefeito ACM Neto (DEM) e seus aliados. Segundo Wagner, os adversários de Rui ainda estão “procurando candidatos” para o Senado. “Temos quadros dos partidos aliados e do PT que têm condição de disputar. Coisa que eu não vejo em outro agrupamento que está sendo firmando. Pelo contrário, as pessoas estão procurando candidato”. Wagner comentou também sobre o cenário pré-eleitoral para o Planalto, e avaliou que é muito cedo para fazer expectativa sobre desempenho dos possíveis candidatos. “Eu não sei se a fotografia vai se manter essa onde nenhum dos candidatos das oposições mais tradicionais ao nosso governo aparece com pontuação mais significativa. Até agora só tem Lula, Bolsonaro, Marina, o Ciro um pouco. Eu não acho que este quadro vai se estabelecer desta forma”.

Lutando pela manutenção de sua vaga na chapa, a senadora Lídice da Mata demonstrou confiança em Rui Costa e no PT. “Eleição não é aritmética. É um processo político. Eu continuo achando que meu nome tem chances e fortalece a chapa. Com anos de existência do Senado nunca tivemos uma representação feminina na chapa. Seria extremamente ruim que se tirasse uma conquista das mulheres brasileiras que é uma vaga na chapa”, avalia Lídice.

 

Por Romulo Faro | Tribuna da Bahia

 

Veja também