CAMPANHA COMBATE AO MOSQUITO EDES AEGYPTI

Com Lula na dianteira, campanha de Bolsonaro teme alta abstenção

Número de faltosos nas eleições da Colômbia acendeu o alerta da equipe do presidente

Foto: Alan Santos / PR

Com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) liderando as intenções de voto nas pesquisas eleitorais, a campanha de Jair Bolsonaro (PL) agora está preocupada com um alto índice de abstenções no pleito de outubro.

Segundo apuração de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, teme que o eleitorado do atual chefe do Executivo se desmobilize imaginando que ele tem poucas chances de sair vitorioso. A preocupação faz sentido, visto que, em uma eleição apertada, até um percentual pequeno de faltosos pode favorecer o petista.

Ainda de acordo com a coluna, a alta abstenção nas eleições presidenciais na Colômbia acendeu o alerta da equipe de Bolsonaro. Diante do quadro, já se discute, inclusive, reforçar na propaganda eleitoral a necessidade do comparecimento para registrar os votos no dia 2 de outubro.

No país vizinho, onde o voto não é obrigatório, a abstenção foi de cerca de 45%. Apesar de ser o menor número em duas décadas na Colômbia, é considerado alto. No país, o esquerdista Gustavo Petro foi eleito presidente com 50,44% dos votos válidos, ou seja, daqueles que compareceram às urnas.