UFC 213

Borrachinha e Brunson trocam provocações após desafio do mineiro no UFC

Americano insinua doping, e mineiro dá o troco: ‘Ele está com medo’

Paulo Borrachinha lança desafio após nocaute em Nova York, e Derek Brunson insinua doping: farpas

Depois da vitória por nocaute técnico diante de Johny Hendricks no UFC 217, em Nova York, Paulo Borrachinha desafiou, ainda no octógono, Derek Brunson, algoz de Lyoto Machida em São Paulo. Foi o suficiente para o lutador de Contagem e o norte-americano começarem a trocar provocações.

Pelas redes sociais, Brunson respondeu ao mineiro e insinuou até mesmo doping. Ele postou uma imagem antiga de Borrachinha e escreveu que o lutador de Contagem seria uma ‘fraude’. “Olha o rapaz há um ano. Você tem minha promessa. Vou te dar uma surra se meu caminho pelo título for desviado. Dinheiro fácil. Você é uma fraude”, publicou o norte-americano.
Borrachinha não demorou muito a dar o troco. O mineiro devolveu a provocação afirmando que Brunson está com medo de enfrentá-lo no octógono. “Eu acho que ele está com medo de lutar comigo. Ele sabe que vou ser demais para ele. Todo mundo quer o título, e ele é o sexto do ranking. Quer lutas mais fáceis”, afirmou o lutador de Contagem, em entrevista ao combate.
O mineiro, que soma 11 triunfos seguidos na carreira – está invicto no MMA -, aproveitou para negar qualquer possibilidade de usar substâncias proibidas para melhorar a performance no octógono. Ele disse que foi submetido a cinco testes antidoping desde que assinou contrato com o UFC.
“Se o argumento dele fosse que eu cheguei agora, e ele quer pegar alguém mais bem ranqueado, eu entenderia. Mas dizer que eu sou dopado não tem nada a ver. Eu fui testado cinco vezes nos últimos quatro meses. Quem diz que eu sou dopado está falando uma grande besteira. Sempre fui testado e nunca deu nada. Ele é um covarde”, acrescentou Borrachinha.
Borrachinha, que além de Johny Hendricks nocauteara Garreth McLellan, na estreia, e Oluwale Bamgbose, ambos no Brasil, mira um lugar no top 5 do peso médio do UFC até o próximo ano. O desafio do mineiro a Brunson foi estratégico, já que o norte-americano está em sexto no ranking. Com isso, em caso de triunfo, o lutador de Contagem entraria em uma posição mais destacada na lista dos 15 melhores.
Fonte: Super Esporte

Veja também