UFC 213

Bolsonaro critica lei contra racismo e defende triagem para imigrantes

Pré-candidato à Presidência da República, deputado elogiou Trump e ainda atacou Lei da Palmada durante entrevista ao pastor Fadi Faraj

O pré-candidato à presidência da República Jair Bolsonaro (PSC-RJ) falou para uma multidão de fiéis da Igreja Ministério da Fé, na tarde desta quarta-feira (8/11). O apóstolo Fadi Faraj, que comanda a comunidade evangélica, o entrevistou em uma live no Facebook. Por uma hora, Bolsonaro defendeu os direitos da família; controle rígido para imigração no Brasil; o retorno dos valores morais para as escolas, como a comemoração do Dia das Mães e Dia dos Pais; o encolhimento da máquina do Estado; e o empoderamento da igreja.

Bolsonaro disse ser contra a Lei da Palmada, que proíbe o uso de castigos físicos ou tratamentos cruéis e degradantes contra crianças e adolescentes no Brasil. “Que moral tem o Estado para entrar na nossa casa para dizer como temos que educar nossos filhos?”, indagou.

Ele criticou ainda a instituição de leis contra o racismo e a homofobia. “Na minha época, a gente chamava os amigos de ‘negão’ na pelada (de futebol). Agora, posso ser processado. Deixa eu corrigir: é afrodescendente. Agora, alguém dizer que o problema do Brasil foi gerado por brancos dos olhos azuis, pode. Queria seguir a linha do Morgan Freeman, ator norte-americano. Segundo ele, a melhor maneira de combater o racismo é não falando sobre ele”, afirmou.

O deputado ressaltou a importância da igreja na sociedade e lembrou que não é evangélico. “O trabalho social da igreja é incalculável para a população. O desgaste da religiosidade é um dos instrumentos para a dominação absoluta”, disse.

Fonte: Metrópole

Veja também