CAMPANHA COMBATE AO MOSQUITO EDES AEGYPTI

Bahia é o segundo estado em receita do turismo, revela Pnad Contínua

A cada R$ 10 movimentado pelo setor no país nos dois primeiros anos da pandemia, R$ 1 foi gasto na Bahia, segundo a pesquisa do IBGE

Foto: Elói Corrêa/GOVBA

A Bahia registrou a segunda maior receita com turismo doméstico nos dois primeiros anos da pandemia de Covid-19. A conclusão é do módulo setorial da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, divulgada nesta quarta-feira (6), pelo IBGE. A atividade movimentou no estado R$ 1,1 bilhão em média, em 2020 e 2021, perdendo apenas para São Paulo (R$ 1,8 bilhão). Em 2020 e 2021, de cada R$ 10 gastos por turistas brasileiros no país, R$ 1 ficou na Bahia.

Porém, a crise sanitária deixou seus efeitos. O valor total despendido por turistas brasileiros na Bahia caiu 7,6% de 2020 para 2021 – perda de R$ 90,1 milhões em um ano. Essa queda foi verificada em 16 dos 27 estados do país

No Brasil, entre 2020 e 2021, a receita com turismo doméstico recuou 10,6% – ou de R$ 1,162 bilhão em um ano. Roraima (-66,6%) teve a maior queda em termos percentuais, enquanto em valores o baque maior foi em São Paulo (menos R$ 484,8 milhões).

A pesquisa do IBGE revelou ainda que, em 2021, ninguém viajou em quase 9 de cada 10 domicílios baianos (85,4%). Em 2019, isso aconteceu em 77,3% dos casos. A falta de dinheiro (31,4%) foi a razão mais citada para não viajar. Com a pandemia, tratar da saúde passou a ser o motivo mais citado para viajar em 2021, informado em 35,7% dos domicílios baianos.

Com uma perda abaixo da média, a Bahia ganhou participação na receita nacional com turismo doméstico, entre 2020 e 2021, passando de 10,8% para 11,2% do total. O gasto médio total em viagens com pernoite com destino ao estado , em 2021, ficou em R$ 1.690, o 8o entre os 27 estados