UFC 213

Alta de 44% no preço do gás modifica hábitos dos consumidores

No interior de SP, casal passou a cozinhar uma vez por dia para economizar; botijão já passa de R$ 80 em algumas distribuidoras.

Com um aumento de mais de 40% neste ano, o botijão de gás vai se transformando no vilão das finanças domésticas.  Conforme dados do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liqüefeito de Petróleo (Sindigás), o preço do gás de cozinha teve uma alta de 44% em 2017 nas refinarias.

Para o consumidor, no entanto, o aumento nos preços pode ser ainda maior. No Estado de São Paulo, o preço máximo do botijão de 13 quilos nas revendas já chega a R$ 82, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Com o produto cada vez mais caro, a saída é economizar o máximo possível. O pintor Reinaldo Barbosa, que mora no interior do Estado de São Paulo, conta que ele e a esposa, que trabalha como diarista, passaram a cozinhar apenas uma vez por dia.

 

Veja também