Sem negociação com o governo, servidores mantêm mobilização

O primeiro ato público está previsto para 18 de janeiro

O governo federal não teria feito qualquer tipo de sinalização para negociar os aumentos salariais – Foto: Evaristo Sa | AFP

O Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate) afirmou que o governo federal não fez qualquer tipo de sinalização para negociar os aumentos salariais dos servidores e, por isso, o calendário de mobilização da categoria está mantido. 

À coluna da jornalista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, o presidente da entidade, Rudinei Marques, confirmou a movimentação da categoria, que se opõe à proposta do governo de aumento  somente para as carreiras da segurança. 

O primeiro ato público está previsto para 18 de janeiro, em frente ao Banco Central e depois no Ministério da Economia. Servidores da Receita, Banco Central e auditores do trabalho já entregaram cargos de chefia e a previsão é que o movimento aumente com a proximidade da data da manifestação.