Salvador está entre capitais com alta no preço da cesta básica

Em pesquisa feita pelo Dieese, a capital baiana registrou um aumento no valor da cesta no mês de dezembro de 2018

Dezoito capitais brasileiras registraram aumento no preço da cesta básica de 2017 para os dias atuais. De acordo com a pesquisa feita pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), divulgada nesta terça (8), Salvador está entre as cidades com alta no valor.

A pesquisa aponta que entre dezembro de 2017 e dezembro de 2018, as maiores altas ocorreram nas capitais do centro-oeste, Campo Grande (15,46%), Brasília (14,76%) e Belo Horizonte (13,03%). Já as que apresentaram uma menor elevação estão duas do Nordeste, Recife (2,53%) e Natal (3,09%).

De acordo com a instituição, caso a pesquisa fosse apenas sobre o mês de dezembro em 2018, Salvador estaria entre as capitais onde os preços mais subiram com 4,13%, atrás de Goiânia com 5,65% e na frente de Natal, que marcou 2,77%. Neste mês, a cesta na capital baiana custou R$ 343,82, considerado um valor médio em comparação as cestas de São Paulo, que custava, em média, R$ 471,44, do Rio de Janeiro (R$ 466,75), de Porto Alegre (R$ 464,72) e de Florianópolis (R$ 457,82).

Os produtos que tiveram a maior alta na cesta foram: leite integral, tomate, pão francês, carne bovina de primeira, arroz agulhinha e batata. Já a queda foi registrada no café em pó e no açúcar.

Com base na cesta mais cara do país – a de São Paulo – o Dieese calculou em R$ 3.960,57 o valor do salário mínimo necessário em dezembro para suprir as despesas de um trabalhador e sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência. O valor equivale a 4,15 vezes o salário mínimo vigente em dezembro (R$ 954).

 

As informações são da Agência Brasil.