Salvador: Em protesto, professores municipais ameaçam realizar greve caso não haja reajuste salarial

De acordo com a Transalvador, o trânsito opera com lentidão no centro das cidade

Os professores e profissionais da Educação de Salvador protestam, na tarde desta quarta-feira (4), em frente ao Quartel dos Aflitos, na Avenida Sete, Centro da capital baiana. Os trabalhadores negaram o reajuste salarial de 4% dado pela prefeitura e cobram que a correção seja de 33,24%, conforme previsto em lei.

De acordo com a representante do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), a reivindicação salarial vem sendo feita há anos. “Pedimos respeito com a categoria. São seis anos sem reajuste e estamos nas ruas cobrando Executivo Municipal que retome as negociações para que a gente possa tratar do reajuste e das demais pautas de reivindicações que até agora não foram atendidos. O indicativo de greve está mantido e nós vamos relizar uma nova assembleia para avaliar o movimento. Não é possível que até esse momento, o executivo municipal não apresente os dados e nem informações dos recursos e ofereça apenas 4%”, disse.

De acordo com a Transalvador, o trânsito opera com lentidão na região.