UFC

Ricardo David revela como encontrou o Vitória: “É mais grave do que esperava”

Em apresentação de Erasmo Damiani, novo diretor de futebol, presidente cita dificuldade de negociação por conta de vazamento dos salários dos atletas.

“Nós encontramos situação pior do que imaginava”, declarou Ricardo David, eleito presidente do Vitória há exatamente uma semana, sobre a realidade que encontrou ao chegar ao clube. Além de apresentar Erasmo Damiani, o novo diretor de futebol, à imprensa, o dirigente concedeu entrevista coletiva para expor a situação do clube, que pena até mesmo para negociar com possíveis reforços por conta do vazamento dos salários dos jogadores ocorrido no meio do ano, como admitiu Damiani.

Ricardo David foi eleito pelos sócios do clube para um mandato de dois anos – que se encerra em setembro de 2019 –, substituindo Ivã de Almeida, que renunciou ao cargo depois de pedir licença (e renovar o pedido) após um ano turbulento, recheado de fracassos. Quem tocou o barco no período em que Ivã esteve fora foi o vice, Agenor Gordilho.

Mesmo com a postura conciliadora que adotou desde que assumiu o poder, Ricardo David não colocou panos quentes ao falar sobre a situação do clube.

– Não vamos aqui dizer que sabia que ia encontrar o Vitória bem financeiramente. Nós encontramos situação pior do que imaginava. O Francisco Sales [vice-presidente do clube] está fazendo o detalhamento. É uma área que tem que ter responsabilidade. É mais grave do que a gente esperava, mas não irá impedir a gente de fazer o que tem que fazer. Por isso é bom chegar de um mundo empresarial. Nós temos pretensões audaciosas para o ano que vem. Se analisar o Campeonato Brasileiro, equipes do eixo Rio-Sul estão fragilizadas. Nesse momento, você tem que entrar com uma equipe mais forte. Estamos equacionando outras fontes. Estamos tomando medidas preventivas – declarou.

Ricardo David também expôs para a imprensa quais são as três prioridades do início de sua gestão.

– Assumimos na quinta-feira e resolvemos eleger três prioridades: aprofundamento na situação financeira, a negociação dos atletas que acabaram contrato e, terceiro, aquisição de jogadores. Nosso coordenador da base permanece, não há perspectiva de substituição. O que vamos fazer é um aprofundamento. Temos alguns atletas que poderiam estar aí e saíram como moeda de troca, o Yan, o Nickson, o Geovane – afirmou.

Veja também