GOVERNO DA BAHIA - TERRA MÃE DO BRASIL

Com quatro lutas por fazer no UFC, Aldo ainda sonha migrar para o boxe

Ex-campeão dos penas quer começar do zero na nobre arte, diferente de McGregor, mas faz planos no MMA também, volta a citar Swanson, e treina boxe nos EUA.

Em meio às expectativas para a luta entre Conor McGregor e Floyd Mayweather, o brasileiro voltou a falar sobre o desejo de migrar do MMA para o boxe, mas num caminho diferente do irlandês. Ele quer começar do zero.

– O sonho de lutar boxe sempre esteve dentro de mim, ainda tenho isso. Tenho um contrato com o UFC e já pedi a eles para tentar realizar esse sonho. Tudo é uma conversa. Vai ter a luta do Conor com o Mayweather, então isso abre um precedente. Agora, temos que sentar de novo com eles e conversar (…). Realmente quero lutar boxe. Não vou atrás de dinheiro, não vou atrás de fama, queria ter uma carreira no boxe, começar de baixo mesmo, pegando caras menos graduados e me credenciar a lutar pelo título – disse Aldo, direto da Califórnia, nos Estados Unidos, onde foi treinar boxe.

Aldo, aos 30 anos, ainda tem mais quatro lutas em contrato com o UFC. Depois de perder o cinturão para Conor McGregor, o lutador amazonense voltou a ser campeão em duelo com Frankie Edgar, mas o perdeu de novo, desta vez em junho, no UFC 212, quando foi nocauteado por Max Holloway. Agora, ele quer fazer merecer uma nova chance pelo título, e para isso quer lutar mais. 

– Já estou pensando em voltar a lutar rápido, fiquei muito tempo sem lutar e acho que isso me atrapalhou bastante. Não quero fazer uma luta atrás da outra, quero lutar mais, quero me exigir mais, treinar mais, estar lutando sempre. Já pedi ao UFC para lutar até novembro, estourando dezembro. No começo do ano já quero começar lutando de novo. Para mim é uma nova fase agora, começando do zero. Quero vir do início ganhando de todo mundo até me credenciar pelo título novamente.

E o próximo adversário, quem seria? Aldo voltou a falar o nome do Cub Swanson, hoje o número 4 do ranking peso-pena do UFC. Mas o brasileiro deixou as portas abertas para outros nomes.

– Cub Swanson é um cara que está bem credenciado, acho que seria uma boa luta hoje. A gente poderia fazer um grande evento, mas depende deles (do UFC). Quem colocarem, para mim… Ele ou qualquer outro, vou chegar e vencer – disse, confiante.

Na Califórnia, José Aldo tem treinado com o renomado ex-pugilista e hoje treinador Robert Garcia.

– Passam muitas coisas na nossa cabeça. Vinha bem, tinha uma certeza que ia vencer a luta, com todo respeito ao Max. Não foi exatamente o que esperava. Depois da derrota fica um gosto amargo sim, mas procuro sempre tirar um lado bom da história, mesmo que ela seja negativa. Vim para cá aprender, evoluir mais, e isso serviu para mostrar que não sou imbatível e preciso estar em constante evolução – concluiu.