Provocações de Covington irritam Woodley: ‘Nunca quis tanto acabar com alguém’

Campeão detona rival e promete surra em duelo por cinturão unificado.

Campeão linear dos meio-médios do Ultimate Fighting Championship, Tyron Woodley reagiu às provocações de Colby Covington, que conquistou o título interino da categoria ao bater Rafael dos Anjos, no fim de semana passado, em Chicago. O ‘Escolhido’ prometeu encerrar a carreira do desafeto quando eles se enfrentarem pelo título unificado da divisão.

“Colby Covington vai apanhar muito. Nunca na minha vida, na minha carreira e na minha existência eu quis massacrar e envergonhar tanto alguém. Nunca quis tanto acabar com a carreira de alguém e tirar tanto a vida de alguém. E não falo isso no sentido figurado. Literalmente, vou tentar machucá-lo tanto que ele não possa voltar a lutar no UFC”, disparou em postagem no Instagram.

Tyron Woodley e Colby Covington são da mesma equipe, a American Top Team, e já chegaram a treinar juntos. Adepto ao estilo trash talk,  campeão interino dos meio-médios afirmou que sempre levava vantagem sobre o rival nos treinamentos e o acusou de evitar o duelo no octógono. Woodley deu uma nova versão da história e considerou o falastrão uma vergonha para as artes marciais mistas.

“É uma vergonha ele ser da American Top Team. Eu tenho vergonha por ele fazer parte do nosso esporte e fazer parte da nossa categoria. Ele é uma piada para o esporte. Eu tenho a melhor defesa de queda da história do esporte, não apenas da categoria. Esse cara nunca me derrubou na vida nem ganhou um milissegundo sequer de um round comigo. Ele era o round de aquecimento, a pessoa com quem eu fazia sombra de boxe antes de começar o treino de verdade. E é isso que ele sempre será para mim. Ele nunca me colocou para baixo nem me derrubou. Você corria para casa como um covarde, dizendo: ‘Meu tornozelo está doendo’. Você não conseguia nada comigo quando treinávamos. São fatos”, concluiu.

Tyron Woodley não luta desde de julho do ano passado, quando defendeu o cinturão dos meio-médios pela terceira vez, contra Demian Maia. Recuperado de lesão no ombro e estipulou o retorno ao octógono para 4 de agosto, no UFC em Los Angeles. Apesar do longo afastamento, o campeão foi contra a criação da disputa de cinturão interino da categoria, conquistado por Colby Covington com vitória por decisão unânime sobre o brasileiro Rafael dos Anjos, ex-detentor do título do peso leve.

 

Fonte: Super Esportes
JIU JITSU FERNANDO MEIRA