Pesquisas abatem aliados políticos de Bolsonaro, diz colunista

Assessores do pré-candidato à reeleição esperavam melhor pontuação em junho; presidente desacredita percentual de Lula

Foto: Reprodução / Facebook

As intenções de votos na corrida presidencial divulgadas nas últimas pesquisas têm desanimado o entorno do presidente e pré-candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL). A expectativa do grupo era de que ele aparecesse em junho mais próximo do líder das pesquisas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ou até passasse à frente. As informações são do colunista Guilherme Amado, do site Metrópoles.

Porém, em sondagens recentes, como a BTG/FSB, Lula aparece com 44% contra 32% do atual presidente. No Ipespe, o petista supera com 45% contra 34%. Em abril, o candidato à reeleição esboçou uma reação. Mas as mudanças no cenário, com as retiradas das candidaturas de Sérgio Moro (União Brasil) e João Doria (PSDB), arrefeceram a reação do grupo governista.

O próprio Bolsonaro resolveu partir para o ataque, questionando as pesquisas. “Não tem como esse cara (Lula) ter 45% de intenção de votos”, disse o chefe do Executivo federal na segunda-feira (13), em conversa com jornalistas. Segundo o candidato à reeleição, o petista públicos como evangélicos, ruralistas, policiais e empresários. “Poxa, quem ele agrada? Ele agrada os sindicalistas, o que sobrou do MST”, concluiu.