O que é trombose, como identificar sintomas e qual a relação com a Covid-19; entenda

Presidente da Associação Bahiana de Medicina (ABM), Dr. César Amorim falou sobre a doença

Durante a pandemia, muitos especialistas vêm alertando a população sobre a trombose. No Brasil, cerca de 180 mil pessoas são atingidas por ano, e uma das causas pode partir de outras doenças infecciosas como a Covid-19.

O angiologista e cirurgião cardiovascular, Dr. César Amorim, Presidente da Associação Bahiana de Medicina (ABM), explicou o que é a trombose e como é possível identificá-la antes que ocorram algumas complicações graves para a saúde.

Amorim explicou que o surgimento da doença está relacionado com a circulação sanguínea. A trombose é a formação de coágulos recobertos por uma proteína chamada fibrina, tanto nos vasos arteriais, como nos venosos.

O que é a trombose?

“É a obstrução do vaso, ou seja, a formação de um trombo de um coágulo dentro do vaso. A trombose pode acontecer de duas formas: no vaso arterial, que é aquele vaso que sai do coração levando o sangue oxigenado para os tecidos, e pode ser também venosa, que acontece nas veias, vasos que levam o sangue dos tecidos de volta ao coração e pulmão, para oxigenar”.

“A trombose se dá por três motivos. Primeiro é através de algumas doenças infecciosas, que podem ocasionar uma maior capacidade de formação de coágulos. Outra causa é devido à lesão da parede do vaso. Quando a gente tem alguma alteração na parede, há algumas alterações no mecanismo de equilíbrio, que se desfaz e aí começa a formar o trombo. O outro fator se dá em pacientes que ficam muito tempo acamados nos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Pacientes mais idosos que ficam com pouca movimentação. A dificuldade do sangue circular pode levar a formação da trombose”.

Quais são os riscos que a doença traz?

“A doença pode ocasionar alguns riscos graves para a saúde, entre eles está a perda daquele membro onde houve a trombose. A trombose arterial pode ocasionar a falta da circulação para aquele membro específico, onde impede a oxigenação daquele tecido, que acaba morrendo. A trombose venosa, na maioria dos casos, se dá em membros inferiores, e nela pode haver um aumento da coagulação naquele lugar que formou o trombo. Com a dificuldade do retorno do sangue, o membro começa a inchar. Há um processo inflamatório na parede do vaso que também leva a dor”.

Qual a relação entre a trombose e a Covid-19?

“Todos os fatores que causam a trombose têm relação com a Covid-19. A doença pode alterar a coagulação do sangue, além de agredir o vaso e provocar algum processo inflamatório. Também tem aqueles pacientes que ficam muito tempo acamados nos leitos de UTI, certo? Ou seja, a Covid-19 acaba estimulando todos os três itens do mecanismo da formação do coágulo e da trombose”.

Quais são os principais sintomas?

“As vezes ela pode até ser assintomática, se for uma trombose pequena, mas o sintoma mais comum geralmente é um edema unilateral do membro. A pele fica avermelhada e há muita dor também”.

Como prevenir a trombose?

“Para prevenir a trombose seria basicamente o uso de uma boa dieta. Fazer exercícios com uma certa regularidade ajuda bastante na prevenção da doença também, porque isso ativa a circulação e evita a inflamação”.

Como tratar a doença?

“A gente faz um tratamento com um medicamento oral, que são os anticoagulantes. É importante que o paciente faça algumas atividades físicas também. O sedentarismo pode piorar o quadro. Em alguns casos também orientamos o paciente a utilizar meias elásticas, que vai ajudar a diminuir o inchaço. Geralmente o tratamento dura de três a seis meses”.

Fonte: Bahia.ba

Programa Estado Solidário