Mulher é presa em flagrante suspeita de trabalhar como advogada sem ter registro

Uma mulher foi presa na tarde da última quarta-feira (4) em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, suspeita de trabalhar como advogada sem ter o registro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

De acordo com a Polícia Civil, a prisão aconteceu em flagrante no Fórum de Ponta Grossa. A investigação começou há quatro meses, quando houve uma denúncia sobre a mulher.

A mãe e o avó de uma jovem que foi presa contrataram a suspeita para tentar tirar a mulher da cadeia. Pelo serviço, seriam pagos R$ 3 mil – mas a família deu apenas R$ 700, segundo a polícia.

“Mas ela não tirou [a mulher da cadeia]. Fui lá no fórum e descobri que não era advogada. [Usamos} dinheiro que foi tirado do remédio da minha mãe”, conta a cliente que diz ter sido vítima da falsa advogada.

A OAB sugeriu que a cliente combinasse um encontro nesta quarta no Fórum de Ponta Grossa. A vítima foi acompanhada de policiais à paisana e de uma comissão de fiscalização da ordem. A suspeita tinha até cartão de visitas, conforme a polícia.

Segundo a polícia, a suspeita foi presa com o dinheiro da família em mãos. Ela foi autuada por estelionato, falsidade ideológica e exercício ilegal da profissão. As penas podem chegar a oito anos de prisão, informou a polícia.

Não cabe fiança à suspeita, que deve passar por audiência de custódia. Ele permanece presa.

A OAB informou que para confirmar se uma pessoa tem ou não o registro de advogado, basta ir até uma sede da ordem ou pesquisar no site da OAB.

Por RPC Ponta Grossa
Fonte: g1 globo

JIU JITSU FERNANDO MEIRA