Maioria dos eleitores não desconfiam de que recebem fake news, diz pesquisa

Uma pesquisa realizada pelo INCT (Instituto da Democracia e da Democratização da Comunicação) demonstra que a maioria dos eleitores brasileiros não percebem que recebem notícias falsas de política. Entre 2.500 pessoas ouvidas no primeiro semestre de 2018, com representatividade nacional em várias faixas etárias e de renda, menos de um quarto respondeu que desconfiava do recebimento de fake news.

De acordo com os autores do estudo, os cientistas políticos Max Stabile e Marisa von Bülow, professora do Instituto de Ciência Política na UnB (Universidade de Brasília), as entrevistas foram realizadas, coincidentemente, quando uma série de informações falsas a respeito da vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada em março no Rio de Janeiro, foram disseminadas e compartilhadas nas redes sociais e em serviços de mensagens.

Rosto da vereadora Marielle Franco (PSOL) é estampado em cartaz em sua homenagem

“A primeira coisa a se notar no resultado é que esse fenômeno das notícias falsas é importante no mundo todo, é algo que tem tido impacto na qualidade dos debates políticos de forma geral e, em especial, em momentos eleitorais. E a nossa pesquisa aponta que há pouca consciência disso no Brasil”, afirma a professora.

“A pergunta era: ‘Você desconfia de que recebe notícias falsas sobre política?’. Menos da metade daqueles que usam redes sociais [para se informar] disseram que desconfiam e, no total, menos de 24% dos que responderam a pesquisa disseram que desconfiam”, Bülow explica.

São consideradas notícias falsas nesse estudo “aquelas produzidas de forma intencionalmente mentirosa”. A definição exclui “rumores, fofocas ou opiniões, focando especificamente na produção de mentiras que têm como objetivo manipular e distorcer os debates políticos, disfarçando-os de notícias

Fonte: UOL
JIU JITSU FERNANDO MEIRA