Lutador do UFC defende banimento de polêmico golpe do MMA

O lutador da categoria meio-médio (77 kg) do UFC Stephen Thompson afirmou, após sua derrota para o inglês Darren Till, ser contra a legalidade do golpe que o lesionou durante o combate. Questionado por grande parte da comunidade do MMA, o chamado ‘chute oblíquo’ costuma causar polêmica. Famoso por ser uma das especialidades do ex-campeão Jon Jones, o golpe consiste em um pisão no joelho do oponente, e dificilmente não resulta numa lesão em quem o recebe.

Em declaração ao site ‘BJPenn.com’, Thompson, ex-desafiante do cinturão do UFC, enfatiza que o golpe deveria ser banido do octógono. A técnica, segundo ele, pode causar danos irreversíveis e até mesmo acabar com a carreira do lutador.

“Rompi meu ligamento do joelho na luta contra Till. Fizemos ressonância magnética e felizmente nada mais foi danificado. Nenhuma cirurgia será necessária, mas eu terei que parar por no mínimo oito semanas para me curar corretamente antes de voltar aos treinamentos. Estava preocupado que se ele batesse novamente ali não apenas a luta terminaria, mas também minha carreira. Eu sinceramente acredito que o golpe deveria ser ilegal”, afirmou.

Com a derrota, ‘Wonderboy’ caiu do primeiro para o quarto lugar no ranking da categoria. Experiente, o atleta de 35 anos já disputou o cinturão duas vezes, em combates contra Tyron Woodley, que somaram um empate e uma derrota ao seu cartel profissional, que conta com 14 vitórias e três derrotas, além do empate já citado.

JIU JITSU FERNANDO MEIRA