Justiça bloqueia R$600 mil da Prefeitura de Gandu após ação movida em 2015

A Prefeitura alega que o problema foi ocasionado devido a herança da gestão anterior.

A Prefeitura Municipal de Gandu sofreu um bloqueio de recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), o montante foi de quase 600 mil reais. O bloqueio segundo o processo é devido a uma ação impetrada por cerca de 60 Agentes Comunitários de Saúde do Município de Gandu que propuseram em 2013, reclamação trabalhista tombada, buscando o pagamento de diferenças do percentual do adicional de insalubridade.

A Administração Púbica, desde 2015, não promoveu a alteração do valor pago a título de insalubridade em contracheque (de 10% para 20%), ou seja, de lá pra cá, mensalmente, cada agente de saúde que integrou a ação, vem acumulando valores a título de diferenças do adicional de insalubridade. A Prefeitura de Gandu segue um planejamento financeiro baseada na previsão anual de receita, mas, imprevistos, como esse acarreta um prejuízo financeiro irreparável para os cofres públicos.

Preocupado com situação, o prefeito Leonardo Cardoso destacou que a prefeitura terá que se reorganizar e economizar mais ainda para manter as contas em dia. “Não contávamos com esse bloqueio, até porque não é referente à nossa gestão e sim herança do governo de 2015. Mas, temos fé em Deus, e força para continuar trabalhando. Vamos nos reorganizar financeiramente, economizar no que for necessário, para manter as contas em dia e não causar prejuízo para população”, disse.

 

                                                                                                  ASCOM/Prefeitura de Gandu.

Veja também