Itabuna e Ceplac lançam projeto para aquecer a lavoura cacaueira

Visando aumentar a produção do cacau, melhorar a qualidade do produto, tornando-o fino e mais rentável, e, consequentemente, alavancar a economia regional, o Departamento de Agricultura da Prefeitura de Itabuna e a Ceplac, lançaram, na última terça-feira (17), o “Mil plantas”, um projeto elaborado por técnicos do Centro de Pesquisa e Extensão da Ceplac e já à disposição dos agricultores regionais.

Segundo o diretor de Agricultura de Itabuna, Erlon Botelho, serão disponibilizadas pela Biofábrica 50 mil mudas que atenderão, inicialmente, 50 produtores já cadastrados em alguma associação. A perspectiva é de que, com a adesão ao projeto, o agricultor possa chegar a 200 arrobas por hectares, diferente da atual realidade, quando a produção gira em torno de 30 a 40 arrobas/ha, o que, na opinião dos técnicos, inviabiliza o investimento na produção.

Erlon Botelho explica que o projeto implantado pelos técnicos da Ceplac será coordenado pela Prefeitura. Ele começa com a seleção de área e das plantas, seguida de treinamento para que o produtor possa dominar a técnica de manejo da produtividade antes e após a colheita.

“O treinamento será feito pela equipe de classificação de amêndoa da Ceplac, com o objetivo de que os agricultores possam trabalhar com a produção de cacau superior”, informa o diretor, destacando que o mercado já compra o cacau de qualidade a um custo de R$ 400,00/arroba, o que tem motivado os técnicos a continuar a desenvolver tecnologia de ponta.

Ele assegura que com essa moderna e avançada tecnologia, o produtor terá o retorno garantido nos investimentos que ele faz na sua produção cacaueira, porque o projeto “Mil plantas” já foi implantado com sucesso em outras regiões do país. “Agora temos essa tecnologia ao alcance de agricultores da região”.
O projeto tem à frente o engenheiro e pesquisador da Ceplac, Ivan costa; o professor Jackson Prado; e a produtora de amêndoa de qualidade, a Dra. Neide Marques

JIU JITSU FERNANDO MEIRA