Floyd diz que ‘pegou leve’ com Conor por medo de causar lesão cerebral

“Ele ainda tem uma carreira pela frente, ainda é jovem. Poderia ter acontecido algo grave, e temos que pensar nos lutadores”, disse em entrevista.

O ex-pugilista Floyd Mayweather voltou a comentar a luta contra o irlandês Conor McGregor. Em entrevista ao  podcast “Hollywood Unblocked”, o americano revelou que decidiu “pegar leve” com o adversário por medo de ser o responsável por danos cerebrais no lutador.

“Ele ainda tem uma carreira pela frente, ainda é jovem. Poderia ter acontecido algo grave, e temos que pensar nos lutadores. Veja, por exemplo, meu tio Roger. Agora há pouco recebi uma ligação. Ele está andando sem rumo, falando coisas desconexas. Ninguém consegue achá-lo. Vai acabar no hospital. Danos cerebrais. Essas coisas acontecem”, explicou ele, que venceu McGregor por nocaute técnico no décimo assalto.

Ele ainda declarou que tinha consciência de que seria criticado não importa qual a postura adotasse.

“Veja bem. É como no livro ‘Ardil 22’, no qual o protagonista se ferra não importa que direção ele siga. Se eu o nocauteasse no primeiro round, as pessoas teriam críticas a fazer. Se eu deixasse a luta prosseguir por mais tempo do que o esperado, ou se eu lutasse à distância, também. Ou seja, eu seria criticado de qualquer forma. Mais uma vez, estamos exaltando a ele, e não a mim. Porque eu tenho 40 anos e estou aposentado há dois anos. Ele tem 28 anos e está em atividade. Eu estava inativo. Ele é mais alto e maior. Pode não ser mais forte, mas tem um alcance maior. O tempo estava do lado dele. Só estou dizendo que, no papel, tudo estava contra mim. Eu tive que superar essas desvantagens, tendo treinado de verdade por apenas três semanas e saído toda noite na semana da luta”.

JIU JITSU FERNANDO MEIRA