Estudo inédito mostra estoque de carbono no cacau cabruca

As pesquisadoras Dra. Larissa Rocha Santos, Dra. Deborah Faria, Dra. Marina Figueiredo, o Dr. Eduardo Assad e Camila Estevam concluíram que, na média, representam 60% do estoque de carbono do sistema, demonstrando seu potencial mitigador. O estudo indica que há uma forte tendência de uma sinergia entre as principais variáveis de interesse. As análises permitiram compreender que o sombreamento tem forte correlação com o estoque de carbono do sistema, devido à maior presença de biomassa.

Um estudo inédito acaba de traduzir em números o quanto essa relação ajuda a mitigar as mudanças climáticas, mensurando o estoque de carbono nas propriedades que utilizam esse sistema agroflorestal.

 E o resultado foi uma surpresa para os pesquisadores: a cabruca é capaz de estocar, em média, 66 toneladas de carbono por hectare. “O estudo ainda não faz essa comparação, mas estimamos que isso seja quase o dobro da quantidade encontrada no cultivo do cacau a pleno sol, que é de 35,6 toneladas”, explica Camila Estevam, bióloga consultora e uma das responsáveis pela pesquisa.

A conclusão mostra uma “fotografia” de quanto carbono há estocado nas propriedades naquele momento e os dados podem ajudar a estruturar pagamento por serviço ambiental. O estudo pode ser acessado na página: https://arapyau.org.br.

(https://arapyau.org.br/estudo-inedito-mostra-estoque-de-carbono-no-cacau-cabruca-e-dados-podem-ajudar-a-estruturar-pagamento-por-servico-ambiental/

Fonte: Cacau e Chocolate