UFC

Empresa pagará R$ 300 mil por chamar trabalhadores de baianos lerdos

Punição foi aplicada a companhia de tecnologia Bematech

A juíza Lucyenne Amélia de Quadros Veiga, da 36ª Vara do Trabalho de Salvador, condenou a empresa de tecnologia Bematech S/A a pagar R$ 300 mil em decorrência de assédio moral praticado a parte de seus funcionários. Segundo ação do Ministério Público do Trabalho, os gerentes Rodrigo Galvão e Gustavo Zuali ofendiam os servidores com expressões como “baianos lerdos”.

“Na verdade, segundo estudos antropológicos, o estigma de preguiçoso do baiano teve origem na elite branca que dominava o Brasil na época da escravidão dos negros e era usada para desdenhar desses escravos que laboravam até a exaustão”, diz a sentença da juíza.

Segundo o portal Correio 24 Horas, o valor de R$ 300 mil será destinado a três instituições, beneficiadas com R$ 100 mil cada. São elas: Fundo de Promoção do Trabalho Decente, Associação de Pais e Amigos de Crianças e Adolescentes com Distúrbios de Comportamento e Lar Irmã Benedita Camurugi.

Veja também