PIRAÍ DO NORTE

Educadores debatem sobre “Projeto de Vida” com foco no Novo Ensino Médio

Como parte das atividades do curso “Módulos de Atualização Projeto de Vida” visando fortalecer o engajamento dos cerca de 800 professores da rede estadual participantes, a Secretaria da Educação do Estado (SEC) promoveu, nesta sexta-feira (11), a live com o tema “Projeto de vida na escola: conquistas e desafios”. O encontro também representou uma preparação para a segunda etapa do módulo de formação do componente curricular Projeto de Vida, que tem início no dia 21 de setembro e é desenvolvido pela SEC, em parceria com a Fundação Telefônica Vivo. Transmitida pelo canal do YouTube (youtube.com/educacaobahia1), a atividade on-line contou com a participação do secretário da Educação, Jerônimo Rodrigues, e da educadora e jornalista Anna Penido, além de professores e estudantes, em um bate-papo sobre as suas experiências com o componente Projeto de Vida. 

O secretário Jerônimo falou sobre a importância do encontro com as duas turmas do Projeto de Vida. “Estamos muito contentes com esta parceria com a Fundação Telefônica Vivo. O trabalho de formação inicial e de formação continuada é invisível aos olhos de quem está na ponta, embora estejamos trabalhando, por exemplo, o tema Projeto de Vida com os nossos professores e isso repercute com uma força e uma delicadeza lá na ponta, no dia a dia, tanto dentro da escola como na vida dos estudantes. Mas é um trabalho de pessoas e instituições invisíveis e isso é muito comum na Educação. E hoje é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio e estou aqui com o símbolo amarelo para demonstrar o nosso compromisso de enfrentar temas tão duros da história da gente. Então, vamos fazer um apelo para que o nosso projeto de vida tenha este cuidado com o estudante, com o nosso colega, com os nossos familiares, com os nossos vizinhos. Educação é isso: é presença, é vínculo”. 

A convidada Anna Penido, residente em São Paulo, exprimiu a sua emoção de falar da rede de ensino da Bahia, Estado onde nasceu, e a importância de os estudantes terem um projeto de vida. “É sempre muito emocionante falar da rede baiana, porque aqui estão as minhas origens, foi a Bahia que me deu régua, compasso e mais uma série de coisas que me fizeram alcançar o meu próprio projeto de vida. E quando a gente fala de projeto de vida, estamos falando de propósito. E a pergunta do projeto de vida, muito mais daquele entendimento superficial de o que eu quero ser quando crescer, qual a profissão que vou escolher, busca ajudar o estudante a saber quem quer ser, que ser humano deseja ser, quais são as aspirações do ponto de vista pessoal e da sua vida cidadã”. 

Para se ter um projeto de vida, completou Anna Penido, é preciso oportunizar o jovem “para que ele possa encontrar uma razão para ter coragem, força, determinação e resiliência suficientes para chegar onde o coração deles deseja chegar”. Ela reforçou: “A gente entende o Projeto de Vida como a possibilidade de ajudar esse estudante a se conectar primeiro consigo para saber quais são a sua potência, os seus interesses, os seus receios, as suas limitações para que possa fazer escolhas conscientes e assertivas e, assim, tenha projetos embalados em sonhos que possam ser planejados para serem alcançados. Portanto, Projetos de Vida se referem também a ajudar os estudantes a estabelecerem objetivos claros, a pensarem em metas e caminhos para atingí-las”. 

Experiências compartilhadas – Professores e estudantes da rede estadual compartilharam experiências com o Projeto de Vida. Foi o caso do professor de Filosofia Emerson Farias, do Colégio Estadual Pedro Ribeiro, em Salvador. “Desde o Ensino Fundamental, venho tendo contato com projetos escolares e sociais que me fizeram pensar na importância da Educação para me projetar no mundo como cidadão. Cheguei para somar na minha comunidade escolar como professor de Filosofia. Mas a nossa diretora, Rose Alfaia, identificando que a disciplina Projeto de Vida era a minha cara e que eu tinha muito a contribuir, me convidou para participar desta formação, com a qual tenho aprendido muito e que me permite entender cada vez mais a minha responsabilidade com o ensino e que temos que abraçar juntos esta ideia de projeto de vida na Educação”. 

A estudante Lara Santos também falou sobre a sua participação na live para contar um pouco da sua experiência. “Quando passei para o 1º ano do Ensino Médio, já esperava por mudanças, mas não imaginava que teria Projetos de Vida como componente curricular. E aí foi uma surpresa e hoje posso dizer que está sendo muito gratificante realizar as atividades, que nos ajudam nas nossas expectativas e metas de vida, trabalhando muito com os nossos sentimentos, as nossas emoções. Não consigo mais me ver sem esta disciplina ao longo do Ensino Médio. É uma matéria que me ajudou no meu desenvolvimento pessoal, como por exemplo, estar aqui hoje falando ao vivo sobre esta minha experiência com a disciplina”. 

Sobre os Módulos de Atualização – Com o objetivo de ampliar o repertório do professor, subsidiando-o com ideias e caminhos possíveis para os seus planejamentos e direcionamentos que levem os estudantes a construírem e seguirem adiante com seus propósitos pessoais, os Módulos de Atualização são cursos de curta duração (40 horas), sendo que 24 horas são à distância e 16 horas, on-line, organizados por eixos: Formação, Currículo, Monitoramento e Avaliação. A superintendente de Políticas para a Educação Básica, Manuelita Brito, explica que os módulos possuem uma arquitetura de oferta individual e sua metodologia é pensada para promover a formação de comunidades colaborativas de aprendizagem nos nove polos de formação – que agregam, em média, de três a quatro Núcleos Territoriais de Educação (NTEs). 

Em janeiro de 2020, a Superintendência de Políticas para a Educação Básica (SUPED) definiu uma pauta de 80 temas para os módulos e, em março, realizou uma pesquisa de Levantamento de Demanda para esses módulos. Foram recebidas 97.081 respostas vindas de 10.617 participantes. “Essa pesquisa possibilitou alinhar a demanda com as necessidades objetivas da política educacional do Estado, com destaque para a implementação da matriz do Novo Ensino Médio em 50% da rede estadual”, destacou a gestora. A primeira etapa do curso ocorreu entre 25 de maio e 22 de junho deste ano e certificou 472 professores de cerca de 340 escolas da rede pública do Estado. Outros 224 professores iniciaram a primeira etapa de formação no dia 20 de julho e concluíram no dia 17 de agosto, com 91% do total aptos à certificação. O Módulo 2 será ofertado a partir do dia 21 de setembro e será on-line em função da situação de isolamento social, em decorrência da pandemia do novo Coronavírus.

Fonte: Secom/BA

Tele Coronavírus 155 começa a funcionar para atender a população gratuitamente na Bahia