Delegados da PF criticam reajuste de 5%: ‘Quebra desleal de compromisso’

Aumento salarial linear foi definido pelo governo federal na quarta-feira; sindicatos de várias categorias classificaram percentual de insuficiente

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal divulgou nota criticando a decisão do governo federal de promover reajuste linear de 5% a partir de julho. Antes, o aumento salarial era previsto apenas para categorias da área de segurança. Na nota, a ADPF manifestou “total indignação e repúdio à notícia de que o Governo Federal não cumprirá com o compromisso firmado pelo presidente da República de promover a reestruturação das forças policiais da União”.

A concessão do reajuste também não foi bem recebida por outras categorias, como os servidores do Banco Central. Alegando perdas de 19,9% em três anos, os funcionários do Banco Central decidiram manter a greve na autoridade monetária.

Alegando “quebra desleal de compromisso”, os policiais federais ressaltaram na nota “até o momento, não houve nenhuma ação concreta de respeito ao policial federal que arrisca sua vida no cumprimento de seu dever e não tem nem mesmo assegurado a pensão integral por morte aos seus familiares”.