Criminosos invadem festa e matam 14 pessoas em Fortaleza

Dentre vítimas, muitos adolescentes; chacina é a maior da história do Ceará

Uma chacina deixou 14 pessoas mortas no bairro de Cajazeiras, em Fortaleza, na madrugada deste sábado (27). De acordo com a polícia, essa é a maior chacina registrada no Ceará em todos os tempos. Em entrevista ao jornal O Povo, um dos mais importantes do estado, o secretário da Segurança Pública e Defesa Social, André Costa, chegou a falar em 18 mortes. No entanto, o número de vítimas fatais confirmadas são 14, das quais sete já foram identificadas –  entre elas, três homens, duas mulheres e duas adolescentes.

Um grupo armado chegou em três veículos, invadiu a festa chamada popularmente por “Forró do Gago” e começou a disparar contra as vítimas. Conforme policiais militares que pediram para não serem identificados, a chacina foi motivada por disputa entre facções. Além do local da festa, paredes das casas vizinhas e diversos veículos que estavam estacionados na via foram atingidos pelos disparos.

Ainda segundo o jornal O Povo, um dos mortos trabalhava como vendedor ambulante no local. O filho dele, de 12 anos, foi baleado e está internado. Segundo relatório divulgado à imprensa pelo Instituto Doutor José Frota (IJF), maior centro médico de urgência de Fortaleza, para onde a criança foi encaminhada, seis pessoas chegaram ao local feridas. Além do garoto, outros dois meninos e duas meninas de 16 anos e uma jovem de 19. Duas das vítimas estão em estado grave. Outros dez feridos com menor gravidade foram para o hospital Edmilson Barros de Oliveira. Oito deles já tiveram alta.

Segundo o secretário André Costa, a chacina no bairro foi “planejada e organizada”. Apesar disso e de essa ser a maior chacina da história do Ceará, Costa afirma que “não há perda de controle”. Em 2015, 11 pessoas, em sua maioria adolescentes, foram assassinadas na chamada Chacina da Messejana – a investigação apontou para o envolvimento de policiais no caso. As declarações foram dadas durante entrevista coletiva no final da manhã deste sábado (27).

Na mesma ocasião, a procuradora de Justiça Vanja Fontenele lamentou o crime e disse que o Ministério Público do Ceará (MPCE) já trabalha na busca dos envolvidos. “Desde a primeira hora que tivemos notícia (da chacina), nós nos engajamos com a força de segurança para que a gente possa encontrar os responsáveis”, disse.

Em entrevista ao G1, um morador, que não quis ser identificado, afirmou que o tiroteio durou cerca de 40 minutos. “Parecia um filme. Vi eles atirando em quem passasse pela rua. Um dos tiros atingiu a parede da minha casa. Muito tiro e depois quando deixaram o local eles ainda cantaram uma música de uma facção criminosa e atiram para o alto”, afirmou. Após o crime, diversas imagens circularam pelas redes sociais. Em algumas delas, é possível corpos espalhados no clube, em ruas próximas e também em calçadas.

 

Fonte: G1
JIU JITSU FERNANDO MEIRA