Covid-19: Sindicato protesta contra mudança de protocolo pelo Banco do Brasil

Foto: reprodução

Na última quinta-feira 13, o Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região realizou protestos em duas agências do Banco do Brasil, na região da Avenida Paulista, contra descumprimentos e alteração unilateral do protocolo Covid-19 por parte do banco. 

“O Banco do Brasil simplesmente ignorou compromisso com o movimento sindical e chancelado em acordo junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT), no âmbito federal. Uma das alterações mais graves no protocolo foi a exclusão do trecho que orientava a encerrar o expediente das suas unidades e dispensar os funcionários, para fins de higienização, quando um trabalhador positivado para Covid-19 estivesse na dependência nas últimas 72 horas”Adriana Ferreira, dirigente do Sindicato e bancária do BB

“Ou seja, a direção do banco passou a permitir que o local de trabalho funcione mesmo quando o funcionário contaminado já teve contato com os colegas, aumentando a possibilidade de transmissão do coronavírus, ao invés de dispensar os trabalhadores e realizar a devida higienização. Além disso, também recebemos denúncias de mau uso de máscaras nas unidades do BB”, acrescenta. 

A mudança do protocolo feita pela direção do BB ocorre no pior momento da pandemia. Com a chegada da nova variante do Coronavírus, a Ômicron, mais transmissível que as anteriores, houve uma explosão no número de novos casos. Dados preliminares de pesquisa feita pelo Sindicato mostram que 88% dos bancários que participaram do levantamento apontam casos de Covid-19 ou Influenza no local de trabalho nos últimos 30 dias. Outro indicador do avanço da pandemia no próprio BB é a espera para atendimento via telemedicina na Casssi, que chega até 17 horas. 

Denuncie

Qualquer desrespeito ao protocolo, ou pressão para retornar ao trabalho mesmo sem o teste negativo para Covid-19, deve ser denunciado ao Sindicato (veja como abaixo). Além disso, caso o bancário identifique casos suspeitos de Covid-19 ou de Influenza no local de trabalho, ou ele mesmo esteja com suspeita ou confirmação de contaminação, também deve informar ao Sindicato (preencha o formulário). Desta forma, a entidade pode atuar junto ao banco para garantir que todos os protocolos de prevenção sejam devidamente respeitados, mensurar a situação da pandemia e do surto de gripe na categoria, e cobrar as providências cabíveis do setor público. O sigilo é garantido.

“O Sindicato está em permanente atuação para que os bancos cumpram os protocolos e implementem todos os esforços para proteger bancários e também clientes. Para isso, a parceria com os bancários é essencial. Não é o momento de relaxar no cumprimento dos protocolos, e também nos cuidados fora do banco, como o uso de máscaras, distanciamento, evitar aglomerações e higienização frequente das mãos com álcool gel. E, claro, não deixar de tomar as duas doses da vacina, assim como a dose de reforço”, conclui Adriana. 

Fonte: Sindicato dos Bancários de São Paulo