Casa usa cacau da Bahia na produção de seus chocolates

Dengo, nome da loja de chocolates que tem três unidades em São Paulo e uma no Rio de Janeiro, pode ser uma manha, uma teimosia de criança ou, ainda, tentativa de chamar a atenção dos outros ou de seduzir alguém.

Apostando em uma pitada de dengo na produção de seus chocolates, desenvolvidos pela chocolatière Luciana Lobo, a casa não usa gordura hidrogenada na produção de suas guloseimas, mas só a manteiga do cacau, que vem de sete fazendas do sul da Bahia.

Entre os chocolates disponíveis nas prateleiras, destaque para o quebra-quebra. Servidas em pedaços, as barras são oferecidas em sabores como abacaxi com coco e castanha-de-caju com cupuaçu.
Há, ainda, as pepitas —amêndoas do cacau torradas e caramelizadas— com coberturas variadas, além da castanha-de-caju envolta em chocolate, das barras com variações de cacau (de 36% a 75%) e dos bombons recheados de cajá, mangaba, jabuticaba, entre outros.

Para beber, a casa oferece quatro tipos de blends produzidos com grãos de cafés vindos de fazendas de Minas Gerais e do interior de São Paulo. Entre eles, há o cítrico, que tem sabor de caramelo e limão-siciliano.

Os cafés são servidos na loja, mas o pó também pode ser levado para casa.

Fonte: Guia Folha

EDUARDO 'SNIPER' ROBSON