NOVA BAHIA 2024

Cacau atinge novo pico na Bolsa de Nova York, preocupações sobre oferta e regulações da UE

Por: Annabelle Midlej

Ontem (09/04), o mercado de cacau testemunhou uma ascensão impressionante, com os contratos de maio registrando um aumento de 3,12%, atingindo o patamar de 10.204 dólares por tonelada. Esse marco representa mais um recorde histórico para a commodity.

A elevação dos preços vem acompanhada de crescentes preocupações em relação à escassez de oferta de cacau em nível mundial. Um receio adicional surge com as novas regulamentações da União Europeia (UE) sobre a aquisição de produtos agrícolas provenientes de áreas livres de desmatamento. Este movimento é especialmente relevante considerando que grandes produtores de cacau, como Nigéria e Camarões, enfrentam dificuldades para atender a esses critérios.

Embora a Costa do Marfim, principal produtor de cacau do mundo, tenha condições de se adaptar às novas leis da UE, o país continua enfrentando desafios consideráveis devido a problemas climáticos. Este ano, o país tem registrado a menor média de chuvas após dez anos, o que tem prejudicado significativamente a produção de cacau.

Além disso, o contrato julho do cacau em Londres fechou em alta de 52 libras, ou 0,7%, para 7.896 libras por tonelada. Essa tendência positiva no mercado de Londres complementa o cenário de valorização observado na Bolsa de Nova York, destacando ainda mais a importância e o impacto global dessa commodity.

Até o momento atual (10/04 às 8:30h), a bolsa em NY já chegou ao número de 10.375 dólares por tonelada, já registrando um novo pico.

Esses fatores combinados têm contribuído para a volatilidade do mercado de cacau, enquanto os investidores monitoram atentamente tanto os aspectos climáticos quanto as regulamentações comerciais que moldam o futuro dessa commodity vital para a economia global.

Fonte: mercadodocacau

Veja também

GOVERNO DA BAHIA