GOVERNO DA BAHIA - TERRA MÃE DO BRASIL

Após pressão de atletas, votação de PL do Profut é adiada na Câmara

Projeto de lei seria apreciado nesta terça, mas votação ficou, a princípio, para quarta-feira. Artigos que tratavam de questões trabalhistas podem ser retirados do relatório final

Após forte pressão de atletas, deputados da base de oposição e até do Ministério da Economia, a votação do projeto de lei que pede o congelamento do Profut durante o período de calamidade pública foi adiada. O texto, a princípio, será apreciado nesta quarta.

A redação final do PL ainda não foi entregue pelo relator, deputado Marcelo Aro (PP-MG). Isso porque, nos bastidores da Câmara, cresceu muito a pressão para a retirada dos artigos 5º e 6º do texto, que tratavam de questões trabalhistas dos atletas, como a redução de 50% da cláusula de compensatória paga em caso de rescisão de contrato unilateral.

Segundo alguns deputados, após a reunião de lideranças partidárias no início desta tarde, Marcelo Aro, embora insatisfeito, teria concordado em retirar as questões trabalhistas do projeto de lei.

– Em função de uma certa pressão que todos nós fizemos, os nossos destaques que estavam vigorando, os artigos foram retirados – comemorou o deputado Júlio Delgado (PSB-MG).

Quem também se manifestou insatisfeito com o parecer de Aro foi o ministro da Economia, Paulo Guedes. No início da tarde, Guedes pediu mudanças no artigo 3º do relatório, que trata da forma de pagamento das parcelas do Profut após o período de congelamento.

Tele Coronavírus 155 começa a funcionar para atender a população gratuitamente na Bahia