Ameaça de falta de insumos já é motivo de preocupação

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na tarde desta quinta-feira no Palácio do Planalto que “haverá desabastecimento” no ano que vem por causa da escassez de fertilizantes no país. Ele disse ainda que a Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) está elaborando um plano emergencial para solucionar o problema.

“Agora, temos um outro problema, pessoal. Eu vou avisar um ano antes. Fertilizantes. Por questão de crise energética, a China começa a produzir menos fertilizantes. Já aumentou de preço, vai aumentar mais e vai faltar”,disse.

“A cada cinco pratos de comida no mundo, um sai do Brasil. Vamos ter problema de desabastecimento no ano que vem”.

Segundo Bolsonaro, o secretário de Assuntos Estratégicos (SAE), almirante Flávio Rocha, está preparando um plano nacional para fertilizantes, que deve ser entregue em novembro. O tema foi discutido na quarta-feira durante encontro do presidente com integrantes da Frente Parlamentar da Agricultura (FPA), no Palácio do Planalto.

Bolsonaro afirmou ainda que orientou diplomatas nos Estados Unidos e na Europa a irem aos supermercados para “mostrar o que está acontecendo”, referindo-se a um suposto desabastecimento nesses locais. “Pedi agora a uma pessoa nossa que trabalha nos Estados Unidos, Itamaraty, né, (para) ir nos mercados, alguns embaixadores da Europa também, (para) mostrar o que está acontecendo. Lá não é apenas inflação, está havendo desabastecimento”,
disse.

Além da queda da produção chinesa, a oferta de fertilizantes tem sido afetada por sanções internacionais a Belarus, um importante fornecedor de potássio. Com informações do Valor

Programa Estado Solidário